sal marinho
sal marinho

Sal marinho: por que ele é melhor que o refinado?

por Redação
em 28 de março de 2017

Embora ele seja muito mal falado e, cada vez mais, se busque outros temperos para substituí-lo, o sal é fundamental para a saúde. Isso porque seus minerais exercem importantes funções dentro do organismo, como regular a quantidade de líquidos dentro e fora das células, colaborar para o bom funcionamento das enzimas, ajudar no transporte de oxigênio, e participar do processo de contração muscular e dos batimentos cardíacos.

Mas, com tantos benefícios, por que o sal é visto como um vilão? O grande problema está relacionado ao excesso do consumo, o que pode fazer com que o organismo retenha mais água e sobrecarregue órgãos vitais, como o coração e os rins. Para que o sal seja um aliado da saúde, é importante usá-lo com moderação e apostar em tipos mais saudáveis, como o sal marinho.

O que é o sal marinho?

Assim como o refinado, o sal marinho também é formado por cloreto de sódio e obtido a partir da evaporação da água do mar. No entanto, ele não passa pelo processo de refinamento, o que faz com que mantenha os minerais e nutrientes e dispense a adição de outros ingredientes químicos. O sal marinho é comercializado em sua coloração natural, que varia entre rosa, cinza, preta ou branca. Alguns tipos de sal marinho populares são o sal grosso e o sal rosa do Himalaia.

Por que o sal marinho é mais saudável do que o sal refinado?

O sal marinho é mais saudável por ao menos duas razões: não passa por refinamento e contém menos sódio. O sal refinado passa por um longo processo químico de aquecimento e refinamento que faz com que ele perca quase todo o seu valor nutricional e tenha de receber uma série de aditivos, como o iodo. O iodo é um mineral necessário para a síntese dos hormônios da tireoide que irão regular as funções do organismo, sua deficiência pode levar ao bócio (aumento das glândulas da tireoide, que pode se tornar um nódulo)

Já o sal marinho, como não passa por todo esse processo químico de refinamento e super aquecimento, mantém seus nutrientes e não precisa receber aditivos. Além disso, o sal marinho contém menos sódio do que o refinado.

Mas não se esqueça, independente de ser o refinado ou marinho, o consumo em excesso dessa substância pode ocasionar problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares e cálculo renal. Para que o uso do sal marinho seja benéfico, é preciso que não haja uma ingestão elevada.

LEIA MAIS
Diferença entre o sal refinado e o sal marinho

Qual a diferença entre o sal marinho e o sal rosa do Himalaia?

O sal rosa do Himalaia também é considerado um tipo de sal marinho, embora não seja retirado diretamente do mar. Como o próprio nome sugere, ele é extraído de depósitos milenares nas cadeias montanhosas do Himalaia. Por não passar por um processo químico, ele mantém suas características originais, incluindo a cor e os nutrientes (cerca de 80 minerais).

sal marinho

Foto: Istock/Getty Images

Quais os benefícios do sal marinho para a saúde?

Se usado com moderação, o sal pode ser um grande aliado do organismo. Saiba quando ele é benéfico para a saúde:

• Todo o processo para deixar o sal de mesa refinado e branco elimina muito de seus nutrientes. No entanto, ainda que sejam em quantidades mínimas, o sal marinho ainda detém cálcio, potássio, zinco, ferro e iodo.

• Os minerais presentes no sal marinho são os responsáveis por manter a sua cor e o seu sabor. Por isso, ele pode ser usado em quantidades menores e, ainda assim, irá conferir um sabor extra aos alimentos.

• Com teor menor de sódio, o sal marinho acaba sendo uma melhor opção para manter o balanço eletrolítico sem sobrecarregar os rins.

• Com consumo moderado, o sal marinho pode ser um aliado na prevenção de doenças, uma vez que ele promove a alcalinização dos fluidos corporais e, com isso, colabora para o equilíbrio hidroeletrolítico e estabiliza o pH corporal.

Qual quantidade deve ser consumida diariamente?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um consumo diário máximo de sódio de cinco gramas, o que equivale a aproximadamente uma colher de chá. No entanto, pessoas com mais de 50 anos e com histórico de doenças cardiovasculares devem consumir até metade de quantidade.

E atenção: É preciso ainda ficar atento aos rótulos antes de consumir. Isso porque se ali apontar o acréscimo de conservantes, aglutinantes ou agentes branqueadores, ele não é um sal marinho integral e essas vantagens apontadas acima poderão não corresponder a esse produto.

Receitas Jasmine com sal marinho:

Receita de Bolo Salgado de Aveia
Receita de Palitos de Gergelim
Receita de Risoto de Quinoa com Funghi

Sugestão Jasmine

A Jasmine possui o Sal Atlantis, que é o sal marinho integral moído. Sem passar por refinamento, obtido de forma natural pela evaporação da água do mar, ele mantém os traços de minerais existentes, preservando-os. Conheça os nossos produtos e aposte em uma alimentação mais saudável para você e a sua família.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!