leite vegetal
leite vegetal

Leite vegetal: conheça as opções e saiba a diferença entre elas

por Redação
em 5 de abril de 2017

O leite de soja todo mundo já ouviu falar. Mas ele é apenas um entre quase uma dezena de opções de bebidas vegetais para quem é alérgico ao leite de vaca ou apenas deseja substitui-lo por um outro que não tenha origem animal. Tem de leite de aveia, de arroz, de amêndoas, de coco e mais um tanto deles. Cada um com um sabor distinto e uma composição nutricional específica. Qual você quer experimentar?

Por que o leite vegetal é melhor do que o de origem animal?

O principal trunfo do leite vegetal em relação ao animal é o fato de ser livre de lactose, sendo ideal para pessoas que sofrem de alergias ou intolerância a essa substância. Enquanto a proteína do leite de vaca e a lactose dificultam a digestão, as bebidas vegetais são ricas em fibras, que auxiliam o funcionamento do intestino e combatem a prisão de ventre.

Por não ser de origem animal, os leites vegetais também são livres de colesterol e o baixo índice glicêmico (o açúcar leva mais tempo para chegar ao sangue) evita os picos de glicose e o desenvolvimento da diabetes tipo 2. Isso além de promover uma maior saciedade, o que é benéfico para a perda de peso.

A variedade também pesa a favor do leite vegetal: são diversos os produtos que originam a bebida, o que ajuda quem precisa de uma dieta restritiva, e proporciona sabores variados aos adeptos da bebida.

Quais os nutrientes do leite vegetal?

Os leites vegetais são ainda extremamente nutritivos, sendo fonte de cálcio, potássio, vitamina A, vitaminas do complexo B e vitamina D. Algumas deles, como o de nozes, por exemplo, possuem importantes antioxidantes. Os antioxidantes são substâncias que combatem a ação dos radicais livres: agentes que atacam as células do corpo e são responsáveis por causar diversas doenças e acelerarem o processo de envelhecimento.

No entanto, antes de consumir qualquer um dos tipos de leite vegetal, é essencial consultar a embalagem e ver seus componentes nutricionais. Algumas opções, por exemplo, podem ter mais nutrientes ou ainda conter o glúten (como é o caso do leite de soja), substância proibida àqueles que sofrem de doença celíaca.

leite vegetal

Foto: Istock/Getty Images

Quais os principais tipos de leite vegetal?

Existem diversos tipos de leite vegetal e alguns dos que se destacam são:

Leite de soja: O extrato ou leite de soja é obtido a partir da moagem dos grãos da soja. Naturalmente sem colesterol, de boa digestibilidade, ele é fonte de cálcio, potássio e magnésio, além de possuir alto teor de proteínas e fibras. E mais: é uma proteína completa e contém 9 dos 20 aminoácidos essenciais para o organismo. É um dos tipos mais comuns e baratos de leite vegetal.

Leite de arroz: Feito a partir dos grãos do arroz frescos, que passam por um processo de moagem, cozimento e fermentação. Como não contém glúten, é uma boa opção para celíacos. O leite de arroz é rico em carboidratos, pobre em proteínas e contém vitaminas do complexo B. Ele possui menos calorias do que o leite de soja e o de amêndoas, sendo ideal para quem deseja emagrecer. E mais: ele contém substâncias que ajudam na produção da serotonina, hormônio responsável por conferir a sensação de bem-estar. Vale dizer que o leite de arroz não é o mesmo que a “água de arroz”, que muitas pessoas ingerem para controlar a diarreia. Ao lado do leite de soja, é uma das opções mais baratas de leite vegetal.

LEIA MAIS
Arroz integral: muito mais saudável que o branco

Leite de nozes: Essa é a bebida com o maior teor de antioxidantes, substâncias essenciais para combater os radicais livres e, assim, evitar doenças e o envelhecimento precoce das células. Além disso, é fonte de vitamina E, ácidos graxos ômega-3 e 6, selênio, cobre, zinco e magnésio. É opção para combater a diarreia, prevenir doenças cardiovasculares e diabetes.

Leite de amêndoas: Com valor nutricional equivalente ao leite de arroz, essa é outra alternativa com baixo teor de gorduras e de calorias, é fonte de fibras, vitaminas A e E e ferro. Por conter cálcio e magnésio, o leite de amêndoas é um aliado na prevenção da osteoporose. Já as fibras ajudam na digestão e a controlar o intestino. Por ter pouca gordura, é indicado para prevenção de doenças cardiovasculares. A grande desvantagem do leite de amêndoas é o custo elevado. No entanto, ele pode ser feito em casa facilmente: basta deixar as amêndoas de molho de um dia para o outro, secá-las com um pano de prato e, por fim, bater no liquidificar ou processador com água.

Leite de aveia: Feito a partir dos grãos de aveia, a principal vantagem desse tipo de leite é a alta concentração de cálcio, que chega a ser tão elevada (ou até mais, dependendo da sua versão) como a encontrada no leite de vaca. Além disso, é fonte de fibras, que conferem saciedade, fornecem energia e ajudam na digestão. Por possuir uma substância chamada fitomelatonina, o leite de aveia melhora a qualidade do sono, sendo um aliado para aquelas pessoas que sofrem de insônia. Seus fitoquímicos ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares, derrames e, até mesmo, alguns tipos de câncer. A bebida pode ser feita em casa e, para isso, basta deixar a aveia de molho por uma hora. Após esse período, é preciso bater bem no liquidificar e coar com peneira. Algumas pessoas acrescentam gotas de essência de baunilha. A bebida pode ficar na geladeira por até três dias. Por conter glúten, o leite de aveia não deve ser consumido por pessoas celíacas.

LEIA MAIS
Aveia: tipos de consumo do cereal que regula o intestino

Leite de castanhas: O leite de castanha é rico em um tipo de aminoácido que estimula a produção do hormônio de crescimento e, por isso, é uma boa opção para crianças que não amamentam mais do leite materno. Seu consumo deve ser moderado, já que o excesso de oleaginosas pode gerar intoxicações. Esse tipo de leite não deve ser consumido por quem possui alergias a castanha-de-caju, amendoins e outras oleaginosas.

Leite de coco: esse tipo de leite é feito a partir da polpa do coco combinado com água. Rico em gordura boa, a bebida ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue. Embora seja mais calórico que outros leites, ele também é um regulador da saciedade, o que permite que a pessoa coma menos. Para fazer o leite em casa, basta bater a poupa no liquidificador com água e depois coar.

leite vegetal

Foto: Istock/Getty Images

Sugestão Jasmine

Quer trocar o leite de vaca por um leite natural? A Jasmine conta com algumas opções saborosas e nutritivas para inserir na sua dieta. Temos o Extrato de Soja Jasmine, que equivale ao leite de soja. O produto é uma opção saudável para intolerantes à lactose ou para aqueles que desejam complementar sua dieta com nutrientes. Naturalmente sem colesterol, de boa digestibilidade, é fonte de cálcio e possui alto teor de proteínas e fibras.

Outra sugestão é o Soylait Jasmine, que é um pó para preparo de bebida à base de extrato de soja não transgênica, adicionado de cálcio e vitaminas e zinco. Uma porção (3 colheres de sopa cheias em 200ml de água) possui 150mg de cálcio e 30% da ingestão diária recomendada de zinco e vitaminas. Opções de sabores: morango, frutas (banana, maçã e mamão) e original.

A linha de produtos Jasmine conta ainda com o Biov Orgânico, bebida nutritiva que traz todos os benefícios do arroz e da aveia orgânicos prontos para beber. Sem glúten e sem lactose, é a opção ideal para intolerantes à substância e veganos. O Biov está disponível na versão líquida (sabores de Aveia, Arroz Original e Arroz com Amêndoas) e na versão em pó (sabores Original, Cappuccino e Chocolate). A bebida oferece a mesma quantidade de cálcio que um copo de leite.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!