gergelim
gergelim

Gergelim: bom para os ossos e o intestino

por Redação
em 20 de abril de 2017

Comer um pão com gergelim quentinho pela manhã, para muitas pessoas, é o jeito ideal para começar o dia com energia. A receita apreciada em todo o mundo faz parte da nossa rotina e, muitas vezes, nem paramos para pensar em seus benefícios. Você sabia, por exemplo, que o gergelim, além de saboroso, é uma importante semente rica em nutrientes? E são diversas as formas de utilizá-lo nas receitas. Conheça mais sobre esse alimento.

O que é o gergelim?

O gergelim é uma semente cultivada há mais de cinco mil anos: já era usado com mel na civilização egípcia como um aliado da beleza. Hoje, é muito comum utilizar o alimento para polvilhar pães, bolos, sopas e, até mesmo, sushis. Graças ao seu alto valor nutricional, o produto é muito usado na medicina Ayurveda, um dos sistemas medicinais mais antigos do mundo, de origem indiana e que serviu de base para a medicina tradicional chinesa.

Quais as propriedades nutricionais do gergelim?

Entre os principais benefícios do gergelim está o fato de ser poderoso para combater a prisão de ventre, graças ao alto teor de fibras que melhora o funcionamento do intestino. As fibras que compõem a semente de gergelim correspondem a 10% da sua composição. Mas não é só isso que o gergelim tem: 20% da sua composição consiste em proteínas de alta qualidade, possui metionina ( aminoácido que ajuda na síntese muscular e no metabolismo do fígado), minerais essenciais (ferro, manganês, magnésio, cálcio, cobre e zinco) e fitoesteróis (ajudam a reduzir os níveis de colesterol LDL – conhecido como “colesterol ruim”). Para completar, o gergelim ainda conta com uma combinação das vitaminas do complexo B e um importante ácido graxo conhecido como ácido oleico.

O gergelim ajuda na prevenção do câncer?

É claro que o consumo de um alimento apenas evita o surgimento de doenças como o câncer. Mas alguns elementos presentes em determinados produtos podem ajudar na prevenção, se consumidos com regularidade e acompanhados de uma dieta saudável e a prática regular de atividades físicas.

No caso do gergelim, o que faz dele bom para prevenir o câncer é o magnésio. Um estudo publicado no Jornal Americano de Nutrição Clínica revelou que o consumo de magnésio pode reduzir em 13% o risco de desenvolver tumores colorretais. A semente contém ainda uma substância chamada sesamina, que ajuda na inibição de vários tipos de células cancerígenas.

Por que o gergelim é bom para quem deseja desenvolver a musculatura?

Porque ele é altamente proteico. As proteínas são importantes para quem pratica atividades físicas, pois ajudam a aumentar a força e a energia, aceleram o metabolismo, assim como o crescimento celular. O resultado disso é a perda de massa gorda e o ganho de massa magra. Por isso, vale a pena inserir o gergelim na dieta alimentar no pós-treino.

O gergelim é bom para os ossos?

Quando se fala em nutriente bom para a saúde dos ossos, logo se pensa no cálcio. Isso porque ele ajuda na regeneração do tecido dos ossos, o que evita o desenvolvimento da osteoporose. E uma porção de gergelim tem mais desse mineral do que um copo de leite!

LEIA MAIS
Tahine: conheça a pasta árabe de gergelim que compõe o homus

O gergelim ajuda a emagrecer?

Esse é um alimento rico em fibras e, como se sabe, elas têm o poder de fazer com que o organismo absorva os carboidratos de forma mais lenta, o que promove a sensação de saciedade por mais tempo. Com isso, a pessoa come menos e a consequência é uma perda natural de peso. Mas é claro que, para ter esse resultado, é importante combinar o consumo dessa semente com outros alimentos saudáveis e pouco calóricos. Uma opção é polvilhar o gergelim em frutas ou no iogurte grego.

Quais as diferenças entre o gergelim branco e o gergelim preto?

Embora tenham cores diferentes, os dois tipos de gergelim são bem semelhantes. A principal diferença é que o preto possui uma maior quantidade de vitamina A, cálcio e óleo em comparação ao branco. Isso faz com que os benefícios para a saúde sejam potencializados. No entanto, os dois tipos são opções saudáveis.

Gergelim

Foto: Istock/Getty Images

Quais os benefícios do leite de gergelim?

Para quem deseja reduzir o consumo de leite de origem animal ou ainda tem intolerância à lactose, esse é um tipo de leite vegetal rico em proteínas, cálcio e gorduras boas. A bebida ainda ajuda a controlar os níveis de colesterol, protege as artérias e é boa opção para quem deseja perder peso.

Como consumir o gergelim?

Não é difícil inserir o gergelim na dieta, especialmente por ser suave e não alterar o sabor de outros alimentos. Além de poder ser polvilhado em pães, tortas e biscoitos, ele ainda pode acompanhar o iogurte ou uma variada salada de frutas. Outra opção é acrescentar na salada de verduras e legumes ou ainda na preparação de arroz ou carnes. A semente torrada e moída se transforma em uma farinha que é usada na panificação como ingrediente de massas de diversas receitas.

É com o gergelim que é produzido ainda o tahine, uma pasta muito usada na cozinha árabe como complemento de pratos doces e salgados. Ele pode ser feito com sementes descascadas ou integrais. A versão integral é mais amarga, porém concentra maior quantidade de vitaminas, cálcio e proteínas.

E mais: o gergelim é um dos ingredientes do gersal, produto que é ótimo para hipertensos, por ser substituto do sal e conter menos sódio. O gersal é resultado da mistura de uma parte de semente de gergelim torrado e processado com sal marinho.

Embora o gergelim seja um alimento versátil e que permite diversas formas de consumo, a melhor maneira de consumi-lo é in natura, ou seja, integral e sem torrar. O alimento com casca ajuda a aumentar o movimento intestinal e ativa a circulação sanguínea na parede intestinal.

É indicado armazenar as sementes de gergelim em um recipiente hermético em local seco e sem exposição à luz. Isso irá garantir maior frescor, além de preservar os nutrientes e evitar a rancificação de óleo.

LEIA MAIS
Receita de Gersal: Aprenda a fazer essa mistura nutritiva

Qual a quantidade recomendada para o consumo diário?

Embora não haja uma regra específica em relação ao consumo do gergelim, o indicado é a ingestão de, no máximo, 30 gramas diários (o que equivale a duas colheres de sopa). Os derivados da semente, como o óleo e a farinha, também entram nessa conta. Essa quantidade garantirá os benefícios do alimento, mas o recomendado é consultar um médico ou nutricionista antes de inserir na dieta. O profissional poderá indicar a melhor forma de consumo, levando em conta suas necessidades energéticas e estilo de vida.

Há contraindicação para o consumo desta semente?

O gergelim não é indicado para quem possui colite (que é uma inflamação do intestino grosso). Como o alimento é rico em fibras, deve ser evitado por quem tem obstruções mecânicas do intestino. Isso porque essas substâncias aumentam o bolo alimentar e os movimentos intestinais. Se você se enquadra nesse perfil, não deixe de consultar um profissional de saúde antes de consumir a semente.

Sugestão Jasmine

Se você quer incluir o gergelim no cardápio, pode experimentar as opções disponíveis no nosso portfólio de produtos, o Gergelim Branco Descascado, que é o “gersal”, a semente de gergelim tostada e moída com 5% de sal, usado como tempero de pratos à base de cereais. Contamos também com o  Gergelim Branco Natural, que pode salpicado ou acrescentado em biscoitos, massas e pães ou junto a legumes refogados para realçar o sabor dos pratos. Por fim, a Jasmine ainda tem o Tahine, pasta utilizada na culinária natural, especialmente na árabe, ótimo substituto da manteiga e margarina.

RECEITAS COM GERGELIM

Receita do Docinho Jasmine
Receita de Paçoca de Gergelim com Linhaça Dourada
Receita de Bolo Salgado de Aveia

 

 


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!