arroz integral
arroz integral

Arroz integral: muito mais saudável que o branco

por Redação
em 5 de maio de 2017

O arroz é item indispensável na culinária de diversas culturas. E em cada país, um tipo diferente do grão compõe as refeições diárias da sua população. No Brasil, a dupla arroz branco com feijão é a combinação mais presente na rotina alimentar e para muita gente é até difícil pensar em um almoço sem esses dois alimentos. Mas há um substituto para essa versão tão popular no país que é muito mais nutritivo e, por consequência, mais saudável: o arroz integral.

O que é o arroz integral?

Esse é o arroz, como o nome sugere, em sua forma completa. Isso quer dizer que o grão integral não passa pelo processo de refinamento e nem é polido, apenas é retirada a casca do grão. Assim, ele mantém a camada de farelo e o gérmen, onde fica concentrada grande parte dos nutrientes. Essa é a principal diferença entre o arroz integral e o branco, que é tão popular na nossa gastronomia.

Qual o valor nutricional do arroz integral?

Por não ser refinado, o arroz integral concentra diversos nutrientes. O alimento é rico em minerais essenciais, como manganês, ferro, zinco, fósforo, cálcio, selênio, magnésio e potássio. Também é fonte de fibras, ácidos graxos, proteínas e de vitaminas como: vitamina B1 (Tiamina), vitamina B2 (Riboflavina), vitamina B3 (Niacina), Vitamina B6, ácido fólico, vitamina E (alfa-tocoferol) e vitamina K.

O que é o arroz integral germinado?

O processo de germinação consiste em deixar o grão de molho, para que a semente absorva a água. Isso faz com que ela aumente de tamanho e as propriedades nutricionais chegam a dobrar. Esse método é essencial para obter um maior número do ácido gama-aminobutírico (GABA), o que faz com que haja uma liberação de enzimas benéficas para o organismo. O arroz integral germinado possui mais nutrientes, como o ácido ferúlico, lisina e fibra dietética Tudo isso faz com que o alimento seja mais facilmente digerido pelo organismo e evita irritações intestinais, inflamações e alergias.

Quais são os principais tipos?

Arroz agulhinha integral orgânico: Preserva intacto o germe, a camada interna e a externa do grão, onde se concentram a maior parte dos nutrientes. Possui baixo teor de gorduras totais e fornece fibras e proteínas. Altamente consumido no país, é um alimento importante para uma dieta saudável e equilibrada.

Arroz cateto integral: Fonte de carboidratos complexos, cálcio, sódio, vitaminas do complexo B, proteínas e fibras. Embora seja calórico (50 gramas do alimento contêm 180 calorias), é nutritivo e confere energia ao organismo. É uma boa opção para preparar receitas de risotos, graças à textura macia e cremosa que obtém após o cozimento.

LEIA MAIS
Qual a diferença entre arroz parboilizado e arroz integral?
LEIA MAIS
Como fazer arroz integral

Quais os benefícios desse tipo de arroz para quem sofre de diabetes?

O arroz integral possui baixo índice glicêmico. Isso quer dizer que o carboidrato presente no alimento demora mais tempo para ser absorvido pelo organismo. Para os diabéticos é algo positivo, porque isso evita picos de insulina no sangue e ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no corpo.

O arroz integral auxilia a perda de peso?

É muito comum pessoas que desejam perder peso inserir o arroz integral em suas dietas e isso realmente é uma boa alternativa. O grão contém fibras que conferem uma maior sensação de saciedade, o que é ótimo porque faz com que comamos menos. Além disso, é fonte de manganês, que ajuda a reduzir as gorduras do nosso corpo. Ele é especialmente benéfico para quem sofre de ansiedade, uma vez que possui propriedades antioxidantes que ajudam a elevar os níveis do colesterol bom (HDL) nos indivíduos obesos.

Ele faz bem para a saúde mental?

Sim! Isso acontece porque as vitaminas do complexo B e os minerais essenciais aceleram o metabolismo do cérebro. O magnésio equilibra a atividade do cálcio no organismo e auxilia na regulação dos nervos e tônus muscular. Já a vitamina E ajuda a prevenir doenças causadas por danos oxidativos no cérebro.

Como preparar o arroz integral?

O primeiro ponto importante sobre o preparo do arroz integral é que é preciso deixá-lo de molho de seis a oito horas antes de começar o preparo. Isso ajuda a aumentar ainda mais os benefícios nutricionais do grão e a deixá-lo com uma textura mais próxima ao do arroz branco. Além disso, aumenta a produção de enzimas que colaboram para a atividade das vitaminas do complexo B.

Outro ponto: o arroz integral não precisa ser refogado, uma vez que esse processo tem o objetivo de selar os grãos do arroz branco. No entanto, o integral possui a película protetora, o que faz com que essa etapa não seja necessária. Portanto, só acrescente o arroz depois que refogar a cebola e o alho na panela.

É preciso um cuidado para armazenar o arroz cozido, uma vez que se isso for feito de forma incorreta pode resultar no crescimento de uma bactéria chamada Bacillus cereus, que causa intoxicação alimentar. Por isso, nunca deixe por muitas horas em cima do fogão. Guarde sempre na geladeira, em um recipiente hermeticamente fechado.

Já o arroz cru pode ficar armazenado por até seis meses. Para isso, coloque em um recipiente hermético em local seco, escuro e com temperatura ambiente.

Receitas com arroz integral:

Risoto de arroz integral

Risoto de arroz integral, aspargos e cranberry

Sugestão Jasmine

Gostou de saber sobre os benefícios do arroz integral para a saúde? O portfólio de produtos Jasmine conta com opções para você inserir o alimento em sua dieta alimentar. O Arroz com Quinoa Orgânico reúne dois grãos altamente nutritivos para deixar suas receitas ainda mais elaboradas e saborosas: o arroz cateto integral, que preserva intactos o gérmen e as camadas interna e externa do grão, onde se encontram a maior parte dos nutrientes como as proteínas, fibras, vitaminas e minerais, e a Quinoa Real, que possui naturalmente perfil altamente proteico e composição de ácidos graxos essenciais mono e poli-insaturados.

Temos ainda o Arroz Integral Cateto e o Arroz Integral Agulhinha, que são fontes de energia, proteínas e com baixo teor de gorduras e rico em carboidratos.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!