Glúten: 8 coisas que você precisa saber antes de tirá-lo da dieta

por Redação
em 16 de fevereiro de 2017

Você conhece algum componente dos rótulos de alimentos mais falado do que o glúten? Pois é, presente na maioria dos industrializados, essa proteína tem ficado famosa à medida em que seu consumo tem sido associado ao ganho de peso e, logo, sua retirada da dieta é vista como uma das estratégias mais indicadas para perder quilos. Mas, por trás dessa lógica simplista e bem questionável, existe um tanto de informações importantes e que você, de fato, deve saber sobre o glúten. Vamos a elas.

Conheça os mitos e verdades em relação ao glúten. (Foto: Istock)

Conheça os mitos e verdades em relação ao glúten. (Foto: Istock)

8 coisas que você precisa saber sobre o glúten

1. Glúten não é carboidrato

De tanto ser considerado o vilão da balança, muita gente acha que glúten é carboidrato. Mas não é. O glúten – ou “cola”, em latim – é a proteína presente naturalmente em cereais como o trigo, a cevada e o centeio. Entre as suas funções, ele é responsável por proporcionar elasticidade às massas, ajudando-as a crescer, a manter o seu formato e a deixá-las mais macias. Resultado disso é que o glúten está em grande parte dos alimentos produzidos e consumidos no dia a dia, assim como pães, bolos, massas, biscoitos, cereais, pizzas, empanados e molhos, entre outros.

2. Só 1% da população é celíaca

Dados da Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil – Fenacelbra mostram que cerca de 1% da população mundial é celíaca, isto é, não pode consumir glúten sob hipótese nenhuma.

3. Doença celíaca é autoimune

A doença celíaca é uma doença autoimune, isto é, leva o nosso organismo a produzir um ataque contra si próprio. Nesse caso, o corpo provoca um processo inflamatório crônico do intestino delgado sempre que algum produto que contém glúten na composição ou no processo de fabricação é consumido. Ou seja, quando em contato com qualquer quantidade de glúten, o organismo estimula a linha de defesa a produzir anticorpos para combater a proteína e acaba por atacar a si mesmo.

4. Sintomas vão de diarreia a esterilidade

Ao atacar a si próprio, o organismo favorece o aparecimento de doenças que se manifestam com sintomas como diarreia crônica, prisão de ventre crônica, distensão abdominal, vômitos, dor abdominal, desnutrição com déficit de crescimento, esterilidade, abortos de repetição e doenças neurológicas.

5. Glúten só engorda celíacos

Nos celíacos, o consumo do glúten faz com que as células produzam substâncias pró-inflamatórias, favorecendo o aparecimento de doenças crônicas, como é o caso, por exemplo, da obesidade. Em quem não tem a doença celíaca, tirar o glúten pode até emagrecer, uma vez que o indivíduo vai deixar de comer as principais fontes de carboidrato de sua dieta, como pão, doces e bolos, mas, que fique claro, o mérito não é do glúten, mas do corte de calorias.

5. Para celíacos, único remédio é cortar o glúten da dieta

Atualmente, o único tratamento disponível para a doença celíaca é a dieta sem glúten. Ou seja, os celíacos devem eliminar o glúten total e definitivamente da sua alimentação, incluindo produtos que possam conter, até mesmo, traços da proteína ou que tenham sofrido contaminação cruzada.

6. Sensibilidade não é intolerância

A sensibilidade ao glúten é uma forma branda de intolerância a essa proteína, quando o organismo apresenta uma dificuldade para digeri-la, causando sintomas gastrointestinais, como desconforto abdominal, diarreia e constipação. Em pessoas com sensibilidade ao glúten, o consumo da proteína desencadeia esses sintomas clínicos, mas o sistema imune permanece inato, ou seja, o organismo não produz anticorpos para combatê-lo, como acontece na doença celíaca.

7. Diagnóstico só com teste

Tanto a doença celíaca como a sensibilidade ao glúten são diagnosticadas por meio de exames e testes clínicos específicos. Por isso, a retirada de quaisquer alimentos do cardápio, inclusive o glúten, só deve ser feita a partir de uma recomendação e acompanhamento médico e nutricional especializado.

Sugestão Jasmine

Entre os nossos produtos, oferecemos algumas opções sem glúten, como os Cookies Integrais Sem Glúten e os Biovs de Arroz e Arroz com Amêndoas. Além disso, também oferecemos produtos que são naturalmente sem glúten, como o Amaranto em Flocos, o Tahine, o Arroz Integral e alguns produtos da Linha Gourmet Integral. Eles são produzidos em maquinário separado e com todo o cuidado necessário para evitar qualquer tipo de contaminação, garantindo opções seguras para o cardápio de celíacos ou pessoas com algum grau de sensibilidade ao glúten.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!