Bebidas vegetais
Bebidas vegetais

Bebidas Vegetais x Bebidas Animais

por Redação
em 15 de outubro de 2014

A principal diferença entre as bebidas vegetais e animais está na sua origem. Enquanto as bebidas vegetais são produzidas a partir de grãos e sementes como arroz, amêndoas, soja e aveia, entre outros, as bebidas de origem animal são extraídas de mamíferos, como os leites de vaca, de búfalo e de cabra. Normalmente, as bebidas vegetais são mais leves, com menor quantidade de gorduras saturadas e apresentam o sabor natural do seu grão ou ingrediente base. Já as bebidas de origem animal contêm um odor e sabor mais forte e característico do animal, uma maior quantidade de gorduras saturadas e, por isso, podem ser mais difíceis de digerir.

Bebidas Vegetais

Ricas em potássio, selênio, cobre, zinco, manganês e ferro, as bebidas vegetais surgem como uma opção ao leite, com a vantagem de serem livres de colesterol, lactose, caseína e gorduras saturadas, ingredientes presentes tanto no leite de vaca como em outras bebidas de origem animal.

As bebidas vegetais podem ser consumidas por qualquer pessoa e são especialmente indicadas para aquelas que possuem sensibilidade ou alergia tanto à lactose quanto à proteína do leite, ou simplesmente para quem opta por não consumir alimentos de origem animal, como é o caso dos veganos.

A suplementação do cálcio que não está presente naturalmente nas bebidas vegetais pode ser feita através de uma alimentação equilibrada, rica no consumo de alimentos integrais, vegetais folhosos, como a couve, além de legumes, feijão e cereais. Porém, já existem bebidas vegetais enriquecidas com cálcio na mesma proporção das bebidas de origem animal, como o leite de vaca.

Segundo Javier Vilanova, doutor em Nutrição e consultor da Jasmine em Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos, tanto o leite de vaca como as bebidas vegetais deveriam servir apenas como complemento para a alimentação. “O leite de vaca e as bebidas vegetais não deveriam ser considerados indispensáveis e ou insubstituíveis na alimentação, mas servir como alimentos complementares à dieta”, afirma o consultor. Ainda assim, segundo Javier as bebidas vegetais são as mais indicadas para o consumo, em especial para quem possui sensibilidade ou alergia aos ingredientes presentes nas bebidas de origem animal. “A bebida vegetal orgânica quase não tem efeitos colaterais, além de não apresentar históricos de sensibilidade e contraindicações, como é o caso das bebidas de origem animal”, finaliza.

LEIA MAIS
Leite vegetal: conheça as opções e saiba a diferença entre elas
LEIA MAIS
Extrato de Soja: substitui o leite animal, sem colesterol e sem lactose

Bebidas Animais

As bebidas de origem animal, comumente chamadas de leite, são excreções produzidas por glândulas mamárias de mamíferos e servem como alimento para os filhotes nos primeiros anos de vida. Mas, em alguns casos, também são utilizadas na alimentação de humanos, tanto na infância, como na fase adulta. De modo geral, essas bebidas possuem proteínas, gorduras, lactose e minerais, variando as quantidades de acordo com cada espécie.

O leite de vaca é um dos mais conhecidos da população e também o de mais fácil acesso, já que está presente na prateleira de todos os mercados, e é indicado como a principal fonte de cálcio na alimentação. Além disso, ele também contém potássio, vitamina D e uma proteína própria chamada caseína. Apesar de ser bastante consumido e estar presente em diversos alimentos, servindo como base para várias receitas, atualmente, cerca de 75% da população mundial possui algum nível de intolerância à lactose, que é o açúcar do leite. Algumas pessoas também podem apresentar reações alérgicas à proteína do leite e, para estes casos, o consumo de qualquer alimento que contenha leite de vaca na composição deve ser eliminado do cardápio.

Confira as nossas opções de bebidas vegetais. Saiba onde encontrar os nossos produtos na sua região.

Fonte: Site Harvard School of Public Health e Huffpost Healthy Living


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!