sedentarismo
sedentarismo

Sedentarismo, pouco sono e outros hábitos que prejudicam sua saúde

por tatiana.barros
em 24 de julho de 2017

Quando o assunto é qualidade de vida, a discussão é bem mais ampla do que se imagina. São vários fatores envolvidos:  alimentação, atividade física, lazer, relaxamento e descanso. Mas não apenas isso. É preciso considerar como e com que frequência esses hábitos estão na rotina. Quando são deixados em segundo plano, fazem falta e a saúde fica comprometida.

Sedentarismo e outros maus hábitos

Confira atitudes que fazem mal ao organismo.

Não dormir o suficiente

O momento do sono não é importante apenas para relaxar. Dormir bem é fundamental para o corpo reparar os tecidos e produzir hormônios necessários para seu bom funcionamento. Só após uma boa noite de descanso que é possível, de fato, recarregar a bateria e ter um dia cheio de energia.

LEIA MAIS
Como dormir bem: crie o ambiente ideal para uma noite de sono
LEIA MAIS
Os benefícios da prática regular da atividade física

Alimentação pouco variada

Para funcionar de forma correta, nosso organismo precisa de uma variedade de nutrientes. Essa informação não é novidade, mas muita gente não dá importância para ela e acaba tendo uma dieta pouco variada. Como é impossível encontrar todos os nutrientes em poucos tipos de alimento, é preciso consumir todos os dias itens de todos os grupos alimentares. Sempre escolha produtos que sejam fontes saudáveis de proteínas, gorduras boas, carboidratos complexos, minerais, vitaminas e fibras.

Sedentarismo

O coração é o principal prejudicado com o sedentarismo. Mas há outros problemas de saúde relacionados à falta de exercícios físicos: obesidade, diabetes, asma, distúrbios psicológicos (como ansiedade e depressão), dores musculares e nas articulações, apneia, entre outros.

Overtraining

Tudo em excesso faz mal. A máxima é uma grande verdade e vale também para a prática de exercícios físicos. Em excesso, o corpo não consegue se recuperar e promover a reparação de músculos e tecidos. O resultado são lesões, fadiga, inflamações e, até mesmo, o sistema imunológico afetado. Por isso, equilíbrio é fundamental. Se gosta de se exercitar com intensidade, varie as atividades ao longo da semana, para não sobrecarregar nenhum músculo.

Uso indevido de suplementos

Nos últimos anos, tomar suplementos virou moda, especialmente entre quem frequenta academia. Esses produtos realmente podem ser necessários, mas não devem ser consumidos de forma indiscriminada. Apenas um especialista pode avaliar o perfil de cada pessoa e atestar qual suplemento é mais adequado para necessidades específicas.  Comprar o mesmo suplemento do colega da academia, simplesmente porque foi bom para ele, pode acarretar sérios problemas de saúde.

Ansiedade por itens saudáveis

A obsessão por comer apenas o que é saudável tampouco faz bem. Equilíbrio é sempre fundamental e evita distúrbios como a ortorexia. O transtorno é marcado pelo comportamento obsessivo por uma alimentação extremamente saudável. A doença é bastante série e pode desencadear outros transtornos alimentares, como a bulimia e a anorexia, e problemas psicológicos, como depressão, irritabilidade e afastamento da sociedade.

Não buscar ajuda profissional

Em meio a tantos sites, blogs e perfis em redes sociais que sugerem dietas e práticas de exercícios, parece fácil obter informação correta e pautar sozinho a rotina de alimentação e atividade física. Mas abrir mão da ajuda de médicos, nutricionistas e educadores físicos é sempre ruim, porque cada indivíduo é único e possui suas próprias carências e necessidades. O que funciona para uma pessoa pode não funcionar – e até mesmo ser maléfico – para outra. Por isso, nada de se basear apenas em fontes genéricas. Acompanhamento profissional é questão de saúde.

 


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!