Exercícios funcionais
Exercícios funcionais

O que são exercícios funcionais e quais seus benefícios

por Redação
em 22 de janeiro de 2018

Praticar exercícios e se alimentar corretamente faz bem à saúde. Essa antiga recomendação continua sendo indicada para todos e, para segui-la no dia a dia, é preciso fazer das boas práticas um hábito. Para auxiliar nessa tarefa e condicionar o corpo de forma mais natural, foi criado o treinamento funcional. “O treinamento funcional é excelente  para quebrar a rotina da academia e dos aparelhos de musculação. Os exercícios motivam, são desafiadores e quem segue esse método tem a possibilidade de alcançar a funcionalidade corporal natural de seu organismo, além de gerar um corpo mais saudável e bem condicionado”, explica a personal trainer Ana Paula Gavleta. Os exercícios são indicados para qualquer indivíduo, de qualquer idade, “desde crianças até idosos, de atletas a sedentários”, diz a profissional.

O que são os exercícios funcionais?

Na mesma esteira dos alimentos funcionais, os exercícios funcionais têm chamado a atenção ultimamente. Mas o que são exatamente? “Toda vez que movimentamos nosso corpo precisamos de uma ação integrada envolvendo pele, articulações, músculos, etc. A partir dessa lógica foi criado o treinamento funcional, que tem como princípio preparar o organismo de maneira global, usando os padrões fundamentais do movimento humano – como empurrar, puxar, agachar, girar, lançar, dentre outros – envolvendo a integração do corpo todo”, conta Ana Paula.

LEIA MAIS
Atividade física no inverno: benefícios de se exercitar em dias frios
LEIA MAIS
5 locais para fazer exercícios ao ar livre em SP (além dos parques!)

Essa visão abrangente permite que o treinamento funcional resulte em um fortalecimento muscular com consciência corporal e equilíbrio, elementos muitas vezes deixados de lado nos treinamentos convencionais. “Em muitos exercícios a única carga utilizada é o próprio peso corporal. A flexão de braço e a barra fixa são exemplos de exercícios funcionais”, explica a personal trainer. Vale ressaltar que o treinamento deve ser elaborado e acompanhado por um profissional de Educação Física.

Principais benefícios dos exercícios funcionais

Os exercícios funcionais ajudam nos seguintes aspectos:

  • Desenvolvimento da consciência e controle corporal
  • Melhoria da postura
  • Melhoria do equilíbrio muscular
  • Diminuição da incidência de lesões
  • Melhora do desempenho atlético
  • Estabilidade articular (principalmente da coluna vertebral)
  • Aumento da eficiência dos movimentos
  • Melhora da força e coordenação motora
  • Melhora da resistência central (cardiovascular) e periférica (muscular)
  • Melhora da lateralidade corporal
  • Melhora da flexibilidade

A associação de exercícios funcionais a uma dieta equilibrada ajuda a potencializar seus benefícios. Para elaborar uma dieta poderosa, consulte um profissional de nutrição, que saberá indicar os alimentos mais importantes para o seu perfil. Faz parte da categoria “alimento funcional” aquele que produz efeitos benéficos à saúde quando consumido na dieta habitual. Eles têm sido muito estudados e, embora não curem, apresentam componentes ativos capazes de prevenir ou reduzir o risco de algumas doenças.

Vantagens dos exercícios funcionais 

1- São exercícios naturais

Exercícios funcionais são os movimentos naturais do ser humano, como correr, puxar, agachar, pular e empurrar. Em um treino funcional, muitos exercícios são realizados apenas com o peso do próprio corpo somado ao equilíbrio.

“O treinamento funcional é uma alternativa não convencional planejada para melhorar o desenvolvimento das capacidades físicas conforme o objetivo de cada indivíduo, seja ele um atleta ou uma pessoa que esteja apenas em busca de qualidade de vida”, conta a profissional de educação física Ana Paula Azevedo.

2- Trabalham o corpo de forma integrada

“No treinamento funcional, geralmente, trabalha-se com vários grupos musculares ao mesmo tempo, e não de forma isolada como na musculação. Dessa forma, ganha-se tempo uma vez que é possível trabalhar a percepção do próprio corpo, por exemplo, enquanto membros inferiores são exigidos em um agachamento”, comenta Amanda Veiga, também profissional de educação física.

Cropped image of a slim woman in sportswear with a skipping rope in her hands on the beach in the morning

A prática constante desenvolve a força muscular, equilíbrio, flexibilidade, sistema cardiorrespiratório e coordenação motora, com o objetivo de melhorar o condicionamento físico nas atividades mais básicas do dia a dia.

3- Cada dia uma aula diferente!

“É uma atividade dinâmica, pois as sequências de exercícios dos circuitos são diferentes a cada aula. As aulas geralmente funcionam na forma de circuito com exercícios que desenvolvam as capacidades básicas. O professor estabelece um tempo para cada movimento ou um número de repetições e todos os alunos passam por todas as estações”, explica Amanda Veiga.

Além disso, os equipamentos utilizados fogem aos tradicionais, ajudando a diversificar os exercícios. Em um circuito podem ser utilizados materiais alternativos, como bolas, borrachas, fita suspensa, halteres, barras, camas elásticas, cones, entre outros.

 

4- Podem ser feitos na academia, no parque, em grupo ou individualmente

A prática dos exercícios funcionais pode ser feita em qualquer lugar: em casa, na praia e até em parques. “Diferente da musculação, na qual máquinas e baterias de cargas são necessárias, no exercício funcional com apenas o peso do corpo e alguns acessórios já é possível fazer um treino bem completo. Por outro lado, por serem exercícios livres, a boa orientação torna-se ainda mais importante para não ocorrerem lesões”, alerta Amanda.

5- São bons para o corpo e para a mente

As séries utilizadas nos circuitos são intensas e com tempo limitado. Essa intensidade exige do corpo condicionamento físico e agilidade. Já a sequência de diferentes exercícios exige da mente concentração e coordenação motora. “Quando você está fazendo um exercício funcional, seja ele qual for, é necessário utilizar a força do corpo e a concentração para exercitá-lo como, por exemplo, o equilíbrio na bola suíça, é preciso recrutar a força e também a concentração para não cair”, conta a professora Ana Paula.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!