Depressão de fim de ano
Depressão de fim de ano

Depressão de fim de ano: como evitar esse sentimento

por tatiana.barros
em 7 de dezembro de 2017

Motivos para aguardar ansiosamente a chegada do fim de ano não faltam: várias festas, décimo terceiro, férias, momentos em família e, para alguns, até viagens. O espírito natalino toma conta e parece que há um clima de felicidade coletiva no ar. Mas por que será então que, justamente nessa época, há uma maior tendência ao desenvolvimento de depressão, estresse e ansiedade? Sim, a depressão de fim de ano existe.

Como evitar a depressão de fim de ano

Para a psicoterapeuta Maura Albano, o fim de ano traz consigo uma reflexão de tudo o que aconteceu nos últimos doze meses, o que faz com que alguns se sintam frustrados por não terem realizado coisas que se propuseram no início do ano. “Há ainda aquelas pessoas que não se adaptam bem às mudanças e o começo de um novo ciclo acarreta uma maior vulnerabilidade. Esse é o momento ainda em que há uma maior tendência a relembrar perdas pessoais e a saudade e o luto se intensificam”, comenta.

LEIA MAIS
Dicas de alimentação para festas de fim de ano mais saudáveis
LEIA MAIS
Alimentos que combatem a ansiedade

Pode haver ainda uma auto pressão para agradar aos outros e a si mesmo, seja em relação aos presentes, à organização de festas ou ao cumprimento de todos os compromissos estabelecidos. Para evitar todos esses sentimentos negativos, a psicoterapeuta dá algumas dicas.

Evite autoavaliação

Esse é o momento em que muitas pessoas dedicam para avaliarem suas atitudes e criar projetos para o ano seguinte. No entanto, Maura acredita que essa autoavaliação deve ser algo constante durante todo o ano, o que evita o peso e possibilita mudanças gradativas e adaptações que se mostrem necessárias ao longo do caminho.

Antecipe as compras

Você é do tipo que sempre adia as compras dos presentes de Natal e sempre deixa para o último momento, com as lojas lotadas, preços nas alturas e poucas opções? Pois é, essa é uma coisa que só gera estresse e ansiedade. “Procure comprar com antecedência, aos poucos. Essa é uma forma, inclusive, de economizar. Faça uma lista ainda para evitar gastos desnecessários e respeite o seu orçamento”, indica.

Curta sua própria companhia

Para muita gente, o fim de ano representa o momento de curtir a família. Mas se você não faz parte desse grupo, ficar sozinho também pode ser algo positivo. “Descubra os prazeres da sua própria companhia e dedique esse tempo para fazer coisas que te deem prazer, mas que a correria da rotina impede que se faça ao longo do ano”, aconselha Maura. Vale colocar as séries em dia, fazer um spa caseiro, se aventurar na cozinha, exercitar-se, ou simplesmente colocar o som alto e dançar sozinho.

Não se isole

Ainda que você curta esses momentos sozinho, evite ficar trancado e isolado por muito tempo. Permita-se também visitar amigos, fazer atividades ao ar livre e conversar com outras pessoas. Por que não aproveitar essa época para fazer algum trabalho voluntário, por exemplo?

Evite comparações

Com as redes sociais é normal achar que a vida do outro é muito melhor do que a nossa. Mas lembre-se que aquilo é só um recorte. “Esse tipo de comparação só traz frustração e, pode acreditar: o que está ali não é o retrato da realidade. O que acontece é que ninguém vai expor suas inseguranças e tristezas, especialmente nessa época em que todos querem vender uma imagem de felicidade e perfeição”, explica a psicóloga.

Presenteie-se

Aproveite o Natal para dar algo precioso a quem mais merece: você mesmo. Compre algo que deseja muito, seja uma roupa, uma viagem ou o que colaborar para dar um up na sua autoestima.

Não exagere na comida

Com tantas celebrações que marcam essa época do ano, é comum haver um exagero em relação à comida e bebida. Além do sentimento de culpa que isso pode gerar depois, o sal, o álcool e a gordura ainda podem gerar problemas gastrointestinais, cardíacos e circulatórios. Para evitar o aumento dos batimentos cardíacos, inflamações e pressão alta, controle-se.

Evite pensamentos negativos

Esse pode ser um grande desafio, mas acredite: faz toda a diferença. “Se algo estiver ruim, seja na vida emocional, no trabalho ou em qualquer outra área, foque naquilo que está bom e procure ver as coisas por uma perspectiva mais positiva. Sempre há algo de bom para tirar de cada situação, tudo depende do peso que você dá para isso”.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!