cansaço excessivo
cansaço excessivo

Cansaço excessivo: As causas e como lidar com essa epidemia

por tatiana.barros
em 27 de junho de 2017

Todo mundo se sente cansado. A afirmação pode parecer exagerada, mas basta olhar ao redor para constatar isso. Estudantes reclamam com frequência de sono em sala de aula, colegas de trabalho bocejam em uma reunião, falta energia para momentos de lazer nos fins de semana. Vivemos atualmente o que os especialistas chamam de “Epidemia do cansaço”, uma consequência das cobranças que chegam por todos os lados e que se manifesta principalmente pelo excesso de sono. Sono e cansaço constantes, porém, não devem ser vistos como algo normal. Por trás da fadiga interminável, muitas vezes há doenças que precisam ser diagnosticadas e tratadas.

Causas do cansaço excessivo

Veja o que pode causar excesso de cansaço:

Sedentarismo

Para quem não pratica esportes, um mínimo esforço já é suficiente para se sentir fadigado. Isso acontece porque falta condicionamento físico, quando coração, pulmão e músculos respondem bem às atividades do dia a dia.  Por isso, é importante se exercitar por alguns minutos todos os dias, ainda que seja uma simples caminhada.

LEIA MAIS
Como dormir bem: crie o ambiente ideal para uma noite de sono
LEIA MAIS
Atividade física no inverno: benefícios de se exercitar em dias frios

Apneia do sono

A apneia é o fechamento repetitivo da passagem do ar na garganta durante o sono. Entre os sintomas desse distúrbio estão fadiga, falta de concentração, alteração de humor e perda de memória. Para detectar o problema, é necessário realizar alguns exames em laboratórios especializados em sono.

Anemia

A doença ocorre quando há redução de glóbulos vermelhos saudáveis no sangue. A consequência dessa queda é fadiga generalizada, falta de disposição para o trabalho e apatia. Para evitar o problema, é importante ter uma dieta rica em ferro, com carne vermelha e vegetais verdes acompanhados de alimentos ricos em vitamina C.

Café em excesso

Quem nunca ouviu a mãe dizer que tudo em excesso faz mal? O café é uma bebida rica em antioxidantes e compostos fenólicos que contribuem para a boa saúde, mas pode gerar cansaço quando consumido de forma exagerada. É que a cafeína atua como estimulante cerebral e, quando ingerida em excesso, impede que o cérebro descanse nos momentos de repouso.

Distúrbios da tireoide

Pessoas que sofrem de hipotireoidismo (funcionamento lento da glândula tireoide) ficam cansadas sem fazer esforço. Já o hipertireoidismo pode levar à fraqueza muscular.

Síndrome da fadiga crônica (SFC) e fibromialgia

A fibromialgia é uma doença que provoca dores por todo o corpo por longos períodos sem causa conhecida. A síndrome da fadiga crônica (SFC), por sua vez, causa fadiga extrema que não é explicada por nenhum problema de saúde. Ambas levam a um cansaço intenso e podem aparecer associadas. Caso a pessoa suspeite que sofra de um desses problemas, deve procurar o médico, que descartará outras doenças e indicará tratamento adequado.

Depressão

A depressão é uma doença séria e, infelizmente, cada vez mais comum. Entre os diversos sintomas que o depressivo apresenta está a falta de energia e ânimo para fazer as atividades cotidianas. É preciso entender que não basta ter força de vontade para sair desse quadro e que acompanhamento médico e terapêutico é muito importante.

Estresse

Uma situação de estresse ativa a produção de cortisol e noradrenalina, hormônios que aumentam a frequência cardíaca e levam o organismo a se preparar para uma batalha. Essa condição faz com que o cérebro não descanse apropriadamente durante o sono.

Doenças cardíacas

A fadiga pode ser um dos primeiros sinais de que algo não está bem com o seu coração, indicando doenças sérias, como infarto, angina, pressão alta, insuficiência cardíaca, entre outras. Por isso, é essencial fazer exames médicos regulares e prezar por uma vida saudável, combinando alimentação balanceada, prática de atividades físicas e momentos de relaxamento e lazer. 

Como melhorar a qualidade do sono

Especialistas recomendam entre sete e oito horas de sono por noite para que o organismo descanse de forma adequada. Quem tem problemas para dormir deve observar alguns hábitos:

  • Evitar bebidas estimulantes, como café, energéticos e chá preto.
  • Fazer as refeições até duas horas antes de dormir e procurar ingerir alimentos mais leves e em menores quantidades.
  • Praticar esportes, que estimulam a liberação de substâncias que proporcionam bem-estar e melhoram a qualidade do sono. Procurar fazer atividades aeróbicas pela manhã e buscar exercícios mais relaxantes à noite, como yoga.
  • Apostar em uma dieta rica em cereais integrais e alimentos ricos em ferro, ácido fólico e vitamina B12. Sempre substitua as versões refinadas desses alimentos por versões integrais. Use em suas receitas arroz integral e farinhas e farelos integrais (de trigo, aveia, chia e linhaça, por exemplo), para aumentar o aporte de nutrientes e de fibras.

 

 

Tags

Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!