Um brasileiro no topo da Mountain of God, no Nepal

por Redação
em 20 de novembro de 2015

Com o nosso apoio desde a preparação, Dino Camargo escalou e conquistou a montanha proibida; saiba mais!

Uma equipe formada por onze alpinistas de cinco países realizou um feito inédito no dia 21 de outubro. Às 14h30, eles chegaram ao topo da Mountain of God, a chamada montanha proibida, no Himalaia. Entre eles, um brasileiro: o publicitário, especialista em neurociências e curitibano, Dino Camargo, que contou com o nosso apoio em alimentos, desde a preparação até a conclusão do desafio. Confira os detalhes da glória de conquistar uma montanha virgem, que nunca havia sido escalada, no cenário deslumbrante do Nepal.

Sobre a expedição

A Mountain of God, com 6.125m de altura, fica próxima ao pequeno vilarejo Sherpa de Beding, em que um dos mais experientes escaladores do Nepal, Mingma Tsiri Sherpa, nasceu. Inclusive, ele também já chegou ao topo do Everest 19 vezes e foi o primeiro Nepali a escalar o K2 – um currículo e tanto e um convite irrecusável.

Com uma permissão especial do governo do Nepal, Mingma chamou cinco escaladores nepalis e seis alpinistas estrangeiros para escalarem rumo ao desconhecido. A partida, em Kathmandu, capital do Nepal, aconteceu no dia 13 de outubro. O trajeto todo, de ida e volta, foi percorrido em 16 dias, entre momentos de exaustão física e emocional, além de acidentes entre os montanhistas.

“Foi uma batalha mental muito mais do que física”, relata Dino Camargo. “Fisicamente, ao final, me sentia quase que totalmente sem energia. A montanha era muito técnica e a exigência física foi extrema”, acrescenta.

Preparação

Para ele, montanhista experiente, com 25 anos de escaladas, a preparação de seis meses foi crucial para chegar até o topo, apesar das extremas dificuldades. “A rotina de treino compreendia uma corrida diária de cinco a oito quilômetros. Yoga para alongamento e proteção muscular, além do benefício do treino da concentração”, explica.

E tem mais: “CrossFit diário em treino de intensidade de uma hora. E, nos finais de semana, oito a 10 horas de trekking em montanhas da região. Subidas de escada e musculação para fortalecimento completavam o treinamento.”

Alimentação e confraternização

Nas duas primeiras fases da escalada, entre Kathmandu e o Campo Base, e o período de aclimatação, a alimentação desempenhou um papel central entre os alpinistas. A adrenalina que antecede a subida e o ataque ao cume é saudada com confraternizações durante as refeições para revitalizar o astral, alimentar o espírito e animar a equipe, descreve Camargo.

“Uma refeição saborosa e nutritiva tem um papel decisivo no ânimo da equipe. A linha gourmet da Jasmine Alimentos mais uma vez foi uma opção acertada para compor um cardápio equilibrando com frutas, verduras e carnes da região. E ainda contando com o benefício dos produtos integrais e orgânicos, que são ainda mais nutritivos e naturais”, ele explica.

Os nossos produtos também ajudaram Dino na fase seguinte, de ataque ao cume. “Nesta expedição, a fase durou 22 horas ininterruptas de esforço. Foram 12 horas de subida e 10 horas de descida. Como ficamos em paredes escalando ou equilibrando na crista em direção ao cume, a alimentação foi muito limitada”, conta.

A solução, de acordo com ele, é ter o produto certo, com praticidade aliada ao sabor e energia. “As Barras de Cereais, os Smoothies, as Superfrutas e as Frutas Crocantes revelaram-se poderosos aliados devido à energia que entregavam num tamanho e peso reduzido. As boas calorias proporcionadas pelos Trails e os Mix de Sementes foram também uma ótima fonte de energia durante todo o trajeto”, relembra o aventureiro.

LEIA MAIS
Escalada: 4 dicas para começar a praticar
LEIA MAIS
O que são exercícios funcionais e quais seus benefícios

A conquista da montanha

A sensação de chegar ao topo é sempre difícil de descrever. Para Camargo, o resultado do esforço ininterrupto de 22 horas seguidas de maratona contra a montanha se expressa com alegria e gratidão. “Comunhão absoluta com o planeta, com a natureza e com a força que existe em cada um de nós. Gratitude!”, ele exalta.

Ao final da descida, que é tão excruciante quanto a chegada ao cume, o montanhista brasileiro comemorou com novos planos. Em 2016, ele quer escalar uma das 14 montanhas de 8.000m do Himalaia e se preparar para a mais difícil montanha do planeta, o K2, no Paquistão.

SUGESTÃO JASMINE

Nós temos uma linha completa de produtos para quem é apaixonado por esportes e procura opções práticas, gostosas e saudáveis para a alimentação. Confira as opções no nosso site!

 

Créditos das imagens: Dino Camargo/ Portal Extremos


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!