Tendências em alimentação saudável
Tendências em alimentação saudável

Tendências em alimentação saudável

por tatiana.barros
em 11 de outubro de 2017

Por anos, as junk foods dominaram o cenário alimentício no mundo. Felizmente, há algum tempo os alimentos saudáveis vem ganhando destaque no consumo e na gastronomia. Esses itens ocupam cada vez mais espaço nas mesas, nos mercados e até mesmo em feiras e eventos especiais. Isso é sinal de que também é crescente a consciência de que qualidade de vida está ligada a uma alimentação nutritiva e variada.

Alguns itens se revelam grandes tendências, seja porque se destacaram ao longo deste ano, seja porque estão mais em evidência no momento ou, ainda, porque prometem conquistar mais adeptos nos próximos anos, graças aos benefícios que proporcionam a quem os consome.

Tendências em alimentação saudável

Descubra quais são esses itens e confira se todos eles já fazem parte da sua rotina alimentar. Uma coisa garantimos: vale muito a pena dar uma chance para todos eles.

LEIA MAIS
Menos desperdício de alimentos: projetos incentivam o consumo de vegetais "feios"
LEIA MAIS
Menos desperdício e mais saúde: confira benefícios das partes descartadas dos alimentos

Vegetais feios

O termo pode parecer estranho, mas assim são chamados os vegetais fora do padrão. Por exemplo, uma abobrinha maior do que as outras, uma maçã muito pequena ou uma cenoura com formato diferente. Já pensou em quantos desses alimentos são desperdiçados diariamente apenas por questões estéticas? A consciência sobre essa questão tem aumentado e algumas empresas, como o Walmart, já vendem produtos considerados feios por valores mais baixos, a fim de reduzir o descarte.

Uso completo do vegetal

É mais uma tendência que busca reduzir o desperdício alimentar. Até chefs de cozinha renomados têm desenvolvido receitas que utilizam o vegetal por completo, dos talos à casca (onde, inclusive, grande parte dos nutrientes fica concentrada).

Leite dourado

Essa é a bebida “de ouro” da medicina ayurvédica, feita com cúrcuma, óleo de coco, gengibre, pimenta preta, canela, mel e leite vegetal. Ela tem um alto poder anti-inflamatório e é perfeito para tomar à noite, especialmente para quem sofre de insônia, pois ajuda a ter um sono mais tranquilo. Também ajuda a prevenir e combater problemas digestivos, reduz cólicas menstruais, desintoxica o corpo, purifica o sangue e aumenta a vitalidade.

leite dourado

Foto: Istock/Getty Images

Alho negro

Você faz parte do time que não gosta do sabor do alho? Pois o alho negro pode agradar. Ele nada mais é do que o alho comum, após passar por um processo de maturação, em que é assado por um longo tempo em baixas temperaturas. O resultado é tonalidade escura, textura macia e sabor adocicado. Os benefícios do alimento são diversos, como controle da pressão e do colesterol, ação antioxidante, termogênica, antiviral e antigripal.

Kefir

Trata-se de um leite fermentado a partir de grãos parecidos com uma couve-flor, ricos em lactobacilos vivos e leveduras. Embora se pareça com o iogurte, sua riqueza nutricional vai muito além. É um alimento rico em bactérias benéficas para a flora intestinal e que colabora para o fortalecimento do sistema imune, alivia problemas digestivos e contém propriedades antibacterianas.

Seitan

Conhecido como a carne de glúten, esse é um alimento produzido a partir do glúten de trigo. Seu gosto e sua textura são semelhantes aos da carne seca.  Por ser rico em proteínas, é boa opção para vegetarianos incluírem na dieta. Ele pode ser usado em mistura de molhos, grelhado, cozido e como recheio de diferentes receitas.

Jaca

Originária da Índia, a jaca (ou jackfruit) é uma das maiores frutas do mundo e fonte de vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos e fibras. Sua composição tem 80% de água, o que é essencial para a hidratação, além de contribuir para a saúde da pele. Também fortalece o sistema imunológico, tem efeito energético, ação antioxidante e colabora para o bom funcionamento do intestino.

Matchá

Essa é uma erva verde extraída da planta Camellia sinensis, muito utilizada no Japão há milênios. É extraída da mesma planta do chá verde, mas obtida de forma mais artesanal, o que faz com que ela apresente maior teor de catequinas (uma poderosa substância antioxidante), de aminoácidos e de clorofila. Tem alto poder antioxidante, acelera o metabolismo e ajuda na recuperação muscular.

matcha

Foto: Istock/Getty Images

Nuts

São as famosas oleaginosas, cheias de benefícios, como as castanhas, as nozes e as amêndoas. São alimentos versáteis, que podem ser ótimos lanches entre as refeições e também usados como ingredientes de receitas variadas, como pães, tortas e bolos. A partir das nuts também são feitos os leites vegetais, livres de lactose e de colesterol.

Coco

Nunca se falou tanto do coco. E motivos para isso não faltam. É um dos alimentos mais completos e versáteis da natureza, do qual tudo se aproveita, da casca à polpa, de onde se extrai óleo, açúcar e farinha. Sem falar da água de coco, que é extremamente nutritiva e saborosa. 

Algas

É um alimento normalmente relacionado à comida japonesa. E vamos combinar: se um alimento é tão utilizado na gastronomia ocidental, certamente é garantia de benefícios para o corpo. As algas colaboram para o bom funcionamento da tireoide, têm alto teor de fibras, além de serem ricas em vitaminas e minerais.  

Missô

Outro alimento típico da culinária oriental,  é uma pasta feita da soja. Seu uso é variado: aparece como substituto da manteiga e do leite em algumas receitas, como ingrediente de molhos de saladas e patês, entre outras preparações. O missô é fonte de vitamina B12 e possui ação desintoxicante, além de restaurar a flora intestinal.

Chá rooibos

Semelhante ao chá vermelho, essa é uma infusão feita com uma planta africana.  Com um sabor levemente adocicado, esse chá é fonte de nutrientes que cuidam da saúde cardiovascular e é eficiente para o combate de dores de cabeça, insônia e cólicas.

Teff

Alguns grãos ancestrais, como a quinoa, já estão há tempos nas mesas, mas um novo “parente” deles começa a ganhar o espaço que merece. O teff é um superalimento originário da Etiópia, rico em fibras e, principalmente, em proteínas. O teff contém um aminoácido chamado lisina, que é ausente na maioria dos cereais. Seu sabor parece uma mistura da quinoa com a linhaça.

Sorgo

Embora seja o quinto cereal mais produzido no planeta, só agora o sorgo começa a ganhar espaço na culinária. Uma de suas vantagens é a versatilidade: Vale fazer pipoca ou ainda usar sua farinha para a preparação de diversas receitas doces e salgadas. Além de ser fonte de fibras e proteínas, o sorgo contém vitaminas do complexo B, minerais e é livre de glúten.

Grãos germinados

Quer potencializar o valor nutricional de sementes, leguminosas e grãos? É simples! Reserve um tempo para fazer a germinação deles. Grãos germinados têm maiores proporções de fibras e proteínas e são livres de ácido fítico, um elemento que dificulta a absorção de proteínas e os minerais.

Gorduras boas

As gorduras são indispensáveis para o organismo, pois são elas que dão energia ao nosso corpo. É preciso investir, no entanto, nas versões saudáveis, como os ômegas 3 e 6 e as gorduras monoinsaturadas, que ainda ajudam na saúde do cérebro e do coração. Por isso, alimentos como salmão e outros peixes de água fria, abacate, coco e oleaginosas estão em evidência.

 


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!