Fale Conosco

Segurança alimentar: cuidados na produção de produtos sem glúten

por Jasmine
em 21 de setembro de 2020

Uma pequena quantidade de glúten é suficiente para contaminar uma grande quantidade de alimento. Os produtos fabricados sem glúten ou sem lactose precisam passar por processos bastante rígidos para evitar que sofram algum tipo de contaminação que possa resultar em problemas de saúde para os consumidores.

A segurança alimentar é uma das principais preocupações da Jasmine Alimentos. As boas práticas da fabricação de itens para dietas restritivas requer atenção redobrada e, por essa razão, recorrer a marcas desconhecidas ou a estabelecimentos cujas condições de manuseio dos alimentos não é a ideal pode resultar em problemas de saúde mais graves.

Boas práticas na fabricação de produtos sem glúten ou lactose

Para garantir que os consumidores intolerantes a glúten ou lactose não terão acesso a produtos com resquícios dessas substâncias, existem diversas normas e recomendações que devem ser seguidas à risca. 

Os cuidados começam já na escolha dos fornecedores e dos insumos que serão utilizados na produção e passam ainda pelo processo produtivo e pela comunicação das condições do alimento ao público.

Escolha criteriosa de fornecedores

Mesmo que todos os cuidados necessários sejam tomados durante o processo de preparação dos produtos, eles terão pouca serventia se os insumos utilizados não forem de boa procedência. Por isso, a escolha dos fornecedores de matérias-primas é parte essencial para o sucesso do processo.

O Brasil segue o chamado Codex Alimentarius, que desde 2008 determina que são seguros para a maioria dos celíacos itens com menos 20 ppm (partes por milhão) de glúten. Todos os produtos devem ser sinalizados em suas embalagens se possuem ou não glúten. 

Ambiente isolado de produção

Produtos que são fabricados com a proposta de serem sem glúten devem ser preparados em um ambiente isolado de produção. Essa medida é essencial para evitar que ocorra um processo chamado “contaminação cruzada”. Poucos lugares possuem infraestrutura adequada para esse processo, e a Jasmine Alimentos está nesse grupo seleto.

Resquícios alimentares em máquinas e fornos podem fazer com que alguma dispersão de glúten acabe indo parar onde não deveria. O consumo de glúten, ainda que em pequenas quantidades, pode ser extremamente prejudicial para celíacos. Portanto, é preciso garantir um alto padrão de qualidade, razão pela qual nem todos os locais conseguem atender a essas normas.

Embalagens devem trazer informações claras

A norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prevista na Lei nº 10.674/2003 é clara: todo o alimento vendido já embalado deve conter a expressão CONTÉM GLÚTEN ou NÃO CONTÉM GLÚTEN, contudo, não estipula os limites da presença ou não de glúten. 

Na legislação RDC nº26/2015, sobre compostos alergênicos, a ANVISA passa a categorizar alimentos sem glúten como aqueles que, quando analisados laboratorialmente, apresentem quantidades “indetermináveis” de glúten, pois admite-se que existem diversos graus da doença celíaca

A obrigatoriedade não se aplica aos produtos vendidos de forma fracionada em um estabelecimento, mas no geral o local deve informar se há ou não glúten nos itens vendidos.

Produtos são submetidos a análise posterior

Mesmo com o cuidado extremo, toda a produção sem glúten deve passar ainda por análises realizadas em laboratórios, próprios ou externos, que atestem a qualidade e a segurança dos alimentos. Somente depois desta etapa é que os itens são encaminhados para os pontos de venda.

Um exemplo é o pão sem glúten Jasmine. Depois de assado, ele é colocado em uma embalagem que tem atmosfera modificada e alguns gases inibidores de crescimento bacteriano são introduzidos no pacote para garantir o frescor do alimento. Só assim o pão pode chegar em partes distantes do país e até mesmo ser exportado sem perder o sabor e a textura originais.

A Jasmine possui laboratórios próprios de Controle de Qualidade para análises de monitoramento e liberação de produtos.

Consumidor também deve ficar atento em casa

Não são apenas as empresas que precisam se preocupar com a questão da contaminação cruzada nos alimentos. Mesmo na sua residência, evite compartilhar utensílios domésticos em itens com glúten e sem, como panelas e talheres. Prefira ainda utensílios sem superfícies porosas – itens de silicone, por exemplo, são recomendados.

Formas mais antigas, tábuas de corte e colheres de madeira também são considerados pontos passíveis de contaminação cruzada. Evite utilizá-los em produtos com glúten e sem e sempre que eles ficarem velhos substitua-os o quanto antes por itens novos. Por fim, redobre a atenção com eletrodomésticos: raramente temos em casa batedeiras e liquidificadores exclusivos para produtos livres de glúten. 

…..

A Jasmine Alimentos conta com uma linha completa de produtos sem glúten. Eles são fabricados a partir de ingredientes selecionados para que não haja nenhum risco de contaminação. Nossas opções incluem pães, snacks, cookies, granola, aveia, bolo e biscoitos

Nutritivos e saborosos, eles são perfeitos para quem se submete a dietas restritivas ou mesmo para aqueles que querem reduzir naturalmente a ingestão dessas substâncias.

Fonte(s): Fermais, Fenacelbra, Minuto Saudável, Atmosfera Protectora e Sensilatte


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!