comer de 3 em 3 horas
comer de 3 em 3 horas

A importância de comer de 3 em 3 horas e a função de cada refeição

por tatiana.barros
em 6 de dezembro de 2017

O segredo para uma alimentação balanceada e saudável é fazer entre cinco e seis refeições por dia. Entre outras funções, essas refeições fracionadas fazem com que nosso corpo fique saciado mais tempo e impede a compulsão. Mas não apenas isso. Esse hábito ainda melhora o perfil lipídico, mantém o metabolismo constante, auxilia na melhora do comportamento cognitivo e do humor. Por tudo isso, comer algo a cada três horas é uma das regras básicas de quem faz dieta.

Por que comer de 3 em 3 horas?

Cada uma dessas refeições exige certa quantidade e tipos específicos de alimentos. De nada adianta investir apenas em alimentos calóricos e com os mesmos grupos alimentares. Até porque elas exercem funções diferentes em nosso organismo. Você sabe quais são elas? Confira abaixo:

LEIA MAIS
Lanches integrais: Por que investir em pequenas refeições durante o dia?
LEIA MAIS
4 dicas para um jantar saudável e ceia

Café da manhã

Não é novidade que essa é considerada a refeição mais importante do dia, mas você sabe por quê? O que acontece é que durante a noite o nosso corpo fica muito tempo sem se alimentar e, ao acordarmos, ele precisa de “combustível” para ter energia e assim conseguir realizar todas as atividades cotidianas. É fundamental que o café da manhã conte com fontes de carboidrato (como pão integral), de fibras (vale frutas e cereais, por exemplo) e proteínas (leite e iogurte são boas opções).

Lanches intermediários

Esses pequenos lanches acontecem após duas refeições importantes: o café da manhã e o almoço. Essa é uma forma de manter o nosso corpo satisfeito por mais tempo, o que impede que exageremos na quantidade na hora das refeições principais. É importante investir em alimentos ricos em fibras, como frutas e nuts (pode fazer um mix de castanhas, nozes e amêndoas).

Almoço

Essa é considerada uma grande refeição, uma vez que deve ser composta pelo maior número de grupos alimentares, quantidade e variedade: é preciso montar um prato com carboidratos (arroz, macarrão ou batata), proteínas (carne ou soja, por exemplo), fibras, vitaminas e minerais (verduras, legumes e frutas). É o almoço que irá garantir energia extra para o restante do dia.

Jantar

Esse é o momento de recuperar as energias gastas durante o dia. Como você deve dormir pouco tempo depois, é preciso apostar em preparações mais leves, para não pesar o estômago e assim atrapalhar a qualidade do sono. Prefira uma salada, um grelhado ou uma sopa.

Ceia

Para quem dorme tarde, a ceia deve ser a última refeição do dia, uma vez que ela abastece o corpo para o longo tempo que ele ficará sem alimento. Mas aqui se deve investir em um pequeno lanche, como um chá com rosquinhas ou um leite com torradas.

O mais importante sempre é não pular as refeições e nem abrir mão de lanches que não sejam saudáveis, como industrializados, fast food, salgados gordurosos e doces. É sempre recomendado se consultar com um nutricionista, para que ele avalie o seu perfil e assim estabeleça uma dieta de acordo com as suas necessidades.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!