fome emocional
fome emocional

Fome emocional: o que os alimentos podem dizer sobre seus sentimentos

por tatiana.barros
em 18 de dezembro de 2017

Muitas vezes, sem nem ao menos perceber, o que escolhemos para comer em determinadas situações pode representar muito das nossas emoções. Isso é o que defende a pesquisadora Deanna Minich, especialista em nutrição e medicina funcional. Ela acredita que é comum as pessoas buscarem na comida um conforto ou preenchimento, diante de vazios ou outros sentimentos que podem ser difíceis de serem expressos com palavras e atitudes. E esse pode ser um dos gatilhos para desenvolver problemas como a compulsão alimentar.

Fome emocional: O que suas comidas preferidas dizem sobre você

Deanna Minich realizou um estudo que teve como proposta decifrar as emoções por trás dos desejos gastronômicos. Saiba quais emoções alguns alimentos podem representar e como evitar a fome emocional, que é a busca de compensação de sentimentos por meio da comida:

LEIA MAIS
Ayurveda: a medicina indiana que une saúde física e emocional
LEIA MAIS
Como enganar a fome: 10 dicas para você comer menos

Comida apimentada

A busca por alimentos apimentados, daqueles que fazem as lágrimas caírem, segundo a pesquisa, reflete o desejo de intensidade e emoção. É comum em pessoas que buscam aventuras, se interessam pelo novo. Por isso, ao invés de compensar isso na comida, o ideal é investir em atividades que nunca antes foi experimentado por si.

Doces

Doces, tortas, biscoitos, balas… Quem nunca recorreu a um doce como forma de compensação? Pois é. Quem consome muito a esses itens costuma buscar neles uma alegria ou energia perdida. E embora esses alimentos provoquem uma euforia momentânea, logo passa. Por isso, o ideal é investir em exercícios físicos ou outras atividades ao ar livre, que são formas naturais de liberar os neurotransmissores da felicidade e do bem-estar.

Salgados

Você é do tipo que sempre precisa acrescentar um pouco mais de sal para sentir que o prato está saboroso? Esse hábito pouco saudável é comum em pessoas agitadas e ansiosas. Isso porque, segundo a especialista, o sal ativa a circulação da água no corpo. Quando surgir a vontade de pegar o saleiro, faça exercícios de meditação ou respiração para reduzir essa agitação interior.

Alimentos crocantes

No caso da preferência por alimentos crocantes tem muito mais a ver com o som que esses itens produzem durante a mastigação, do que pelo sabor em si. Sentir a textura desses produtos é uma forma de expressar a raiva e, até mesmo, chamar a atenção de alguém que o está irritando ou ignorando. Por isso, o melhor é sempre procurar colocar em palavras esses sentimentos que estão incomodando, ainda que seja em um diário.

Carboidratos

Alimentos macios, como massas, pão e arroz, conferem uma sensação de suavidade e conforto. Por isso, são buscados por pessoas que desejam algum tipo de consolo, proteção ou carinho. É como se esses produtos “abraçassem” a pessoa. Nesse caso, nada melhor do que procurar o colo de alguém próximo, ao invés de se “jogar” em um prato de macarronada, concorda?

Café

A busca por um café, refrigerante e outras bebidas ricas em cafeína, acontece como uma busca por vitalidade, por impulsionar o intelecto e adquirir mais concentração. Mas é claro que essa não é a melhor opção. Ao invés disso, procure descansar e assim recuperar a energia e, de fato, conseguir se concentrar nas atividades que precisa.

 

 


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!