Fale Conosco
doença celíaca
doença celíaca

Doença celíaca: uma vida sem glúten

por Jasmine Assessoria de Imprensa
em 07/08/2017

Existem pessoas que decidiram tirar o glúten da dieta como parte de uma mudança de estilo de vida. Há outras, no entanto, que apresentam intolerância essa proteína presente no trigo, no centeio e na cevada e não têm alternativa. Elas têm doença celíaca e precisam controlar bem os alimentos que ingerem para evitar problemas.

O que é a doença celíaca?

É um problema autoimune, caracterizado pela intolerância permanente ao glúten, que aparece em pessoas geneticamente predispostas e afeta o intestino delgado. “Nesses casos, a doença interfere diretamente na absorção de nutrientes essenciais ao organismo, como carboidratos, gorduras, proteínas, vitaminas, sais minerais e água”, explica Miriam Francisca, presidente da Associação dos Celíacos do Brasil – Rio de Janeiro. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 1% da população mundial seja acometida pela doença.

LEIA MAIS
Glúten: 8 coisas que você precisa saber antes de tirá-lo da dieta
LEIA MAIS
Alimentos sem glúten e com sabor: Essa é a proposta do Ginger Deli

Miriam explica que, geralmente, a doença se manifesta na infância, em crianças de um a três anos de idade. No entanto, pode surgir em qualquer época da vida, inclusive em adultos e idosos.

Sintomas da doença celíaca

Essa intolerância é reconhecida por três diferentes formas, que apresentam diferentes sintomas. São elas:

Clássica ou Típica

  • Diarreia crônica, em geral acompanhada de distensão abdominal e perda de peso;
  • Atrofia da musculatura glútea;
  • Falta de apetite;
  • Alteração de humor (irritabilidade ou apatia);
  • Vômitos;
  • Prisão de ventre;
  • Dor e/ou distensão abdominal (barriga inchada).

Não clássica (ou atípica)

  • Anemia por deficiência de ferro ou refratária à reposição de ferro por via oral e, ainda, por deficiência de folato e vitamina B12;
  • Constipação intestinal que não responde ao tratamento;
  • Osteoporose;
  • Defeitos no esmalte do dente;
  • Esterilidade ou abortos de repetição;
  • Fraqueza e perda de peso sem causa aparente;
  • Artralgias ou artrites.

Assintomática (ou silenciosa)

É marcada por alterações sorológicas e histológicas da mucosa do intestino delgado que levam ao diagnóstico da doença por meio de exames, ainda que o paciente não apresente os sintomas.

Diagnóstico e dieta sem glúten

De acordo com Miriam, o diagnóstico é feito por meio de testes sorológicos, que avaliam os anticorpos antigliadina, antiendomísio e o antitransglutaminase (TTG). “Também é necessária a realização de endoscopia digestiva alta, com biópsia de intestino delgado”.

Como não tem cura, o tratamento consiste em ter uma dieta isenta de glúten por toda a vida. Por isso, é importante escolher alimentos que não possuem essa proteína em sua composição, como frutas, verduras, legumes e carnes. É também comum procurar substitutos para a farinha de trigo, como as farinhas de arroz, de milho, de amêndoas, de avelãs, de nozes e de grão-de-bico.  Também são usados fécula de mandioca, flocos de milho e de batata, farinha de sorgo e de soja.

Na hora de escolher os produtos, é muito importante ter um cuidado especial para saber em que ambiente eles foram processados. “Isso porque alguns itens podem sofrer contaminação cruzada, que acontece quando algum produto que contém glúten é manuseado no mesmo espaço ou inserido na produção de outros naturalmente livres dessa proteína”, explica Miriam.

Para se certificar que o alimento não tem glúten, a dica é procurar o selo “Gluten-Free” na embalagem. Ele é fornecido pela Gluten-Free Certification Organization (GFCO), que faz uma avaliação em todo o processo de produção do item.

Pessoas saudáveis podem deixar de consumir glúten?

Há vários relatos de pessoas que perderam peso ao tirar a proteína da dieta, disseminando a ideia de que uma alimentação sem glúten ajuda a emagrecer.

Na realidade, ao adotar esse hábito, a pessoa deixa de comer as principais fontes de carboidratos, como pão, doces e bolos. Logo, o que provoca o emagrecimento não é a ausência de glúten, e sim a redução de calorias. “Orientamos sempre para que nunca seja iniciada uma dieta isenta de glúten sem a prévia realização dos exames adequados ao diagnóstico”, alerta Miriam. “Isso para não mascarar resultados que podem indicar que a pessoa sofre da doença e não sabe.”

Sugestão Jasmine

Você possui a doença celíaca? A Jasmine possui uma lista de produtos livres de glúten para quem tem intolerância a essa proteína. Confira aqui os itens disponíveis em nosso portfólio.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!

Formulário de contato financeiro

Formulário de contato logística

Formulário de contato compras

Formulário de contato comercial

Para falar com nossa assessoria envie e-mail
para: centralpress@centralpress.com.br

Para falar com o nosso time de Marketing envie e-mail para: mkt@ns-group.com

SAC/Atendimento ao consumidor 0800 701 8003

Seus dados estarão em segurança. A qualquer momento você poderá deixar de receber as nossas mensagens. Política de Privacidade