Dieta low carb
Dieta low carb

Dieta Low Carb: como reduzir o consumo de carboidratos de forma saudável

por tatiana.barros
em 13 de outubro de 2017

Nosso corpo precisa de energia para realizar as mais simples atividades do dia a dia e os carboidratos são combustíveis necessários para garantir o funcionamento do organismo. Mas tudo em exagero faz mal – e isso também vale para nutrientes.

A dieta Low Carb (menos carboidratos, em inglês) propõe a redução do consumo diário de carboidratos, também conhecidos como glicídios ou açúcares. A ideia é que o consumo seja perto dos 40% do total de uma dieta diária, sendo que uma alimentação convencional é composta por cerca de 55% de carboidratos.

LEIA MAIS
Carboidratos: Entenda a importância desses nutrientes para nosso corpo
LEIA MAIS
Dieta sem açúcar: Como se livrar da dependência desse ingrediente

Embora tenha diferentes variações, essa dieta é baseada, principalmente, no consumo reduzido de carboidratos simples, que são rapidamente digeridos e levam a um aumento dos níveis de glicose no sangue. Arroz branco, doces, macarrão e pão são alguns exemplos. Para compensar, é indicado aumentar a ingestão de fontes de proteínas, como carnes, ovos, oleaginosas, peixes, entre outros.

Uma importante questão que surge quando se fala desse tipo de dieta é: se os carboidratos são importantes, como tirá-los da alimentação? É preciso enfatizar que a dieta Low Carb não sugere a retirada completa desses alimentos. Uma ingestão muito baixa, inclusive, pode prejudicar a saúde.

A proposta é priorizar o consumo de carboidratos complexos, que são digeridos e absorvidos mais lentamente pelo organismo. Com isso, os níveis de açúcar no sangue aumentam gradualmente, o que impede que ocorram picos de insulina. Alguns dos alimentos fontes de carboidratos complexos são arroz integral, batata doce e massas integrais.

Benefícios da dieta Low Carb

Confira alguns dos benefícios sentidos pelo corpo com essa dieta.

Previne o diabetes: Como se sabe, os carboidratos simples com alto índice glicêmico são digeridos muito rapidamente. Isso gera um aumento da insulina no sangue, que pode resultar em um fenômeno chamado resistência à insulina. Isso eleva os riscos de desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Reduz o risco de doenças cardiovasculares: Para começar, a baixa ingestão de carboidratos simples fazem com que os triglicerídeos sejam reduzidos no sangue. Além disso, a dieta Low Carb privilegia o consumo de gorduras boas, o que aumenta os níveis de HDL (o colesterol bom). Até mesmo a pressão arterial é reduzida com essa alimentação.

Proporciona saciedade: Os alimentos integrais, como massas e arroz, são ricos em fibras. E elas são as responsáveis por proporcionar saciedade por mais tempo. Isso retarda a sensação de fome e, por consequência, come-se menos.

Auxilia na perda de peso: Além do fato de os carboidratos complexos prolongarem a saciedade, o que já contribui para a perda de peso, essa é uma dieta que incentiva a ingestão de alimentos com índice glicêmico baixo, que contribuem para a queima do estoque de gordura do corpo. As proteínas fazem com que o metabolismo seja acelerado, o que também contribui para a perda de peso e ganho de massa magra.

Reduz compulsão por doces: Ao restringir o consumo de carboidratos, há também uma diminuição daquela vontade de comer alimentos ricos em açúcar. Isso é essencial para conseguir manter uma alimentação saudável.

Alimentos permitidos na dieta Low Carb

  • Carne, frango e peixes;
  • Frutas, verduras e legumes;
  • Ovos;
  • Leite, queijos e iogurtes;
  • Azeite, óleo vegetal (como o de oliva e de coco) e manteiga;
  • Oleaginosas (nozes, amêndoas, avelãs, castanha-do-Pará);
  • Arroz, massas e pão integrais
  • Batata doce, batata inglesa, inhame;
  • Chia, quinoa, linhaçasementes de abóbora e girassol, e gergelim;
  • Café e chás sem açúcar.

Alimentos que devem ser evitados

  • Açúcar (inclui produtos adoçados, como refrigerantes, sucos, doces, sorvetes, bolos e biscoitos);
  • Cereais, como trigo, cevada ou centeio
  • Gorduras trans: batata frita congelada, refeições prontas (como macarrão instantâneo e massas congeladas), margarinas;
  • Adoçantes artificiais.

É importante evitar produtos industrializados em geral, que costumam ser ricos em carboidratos. Outra dica importante é a ingestão de água: Deve-se consumir de dois a três litros de água por dia.

Como qualquer tipo de dieta, se a Low Carb não for feita de forma adequada, pode causar efeitos negativos, como gerar compulsão, dores de cabeça, irritabilidade e outros problemas de saúde. Por isso, vale consultar um nutricionista antes de fazer qualquer mudança na rotina alimentar.

 


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!