Alimentação infantil
Alimentação infantil

Alimentação infantil: montando um cardápio saudável

por Redação
em 30 de outubro de 2014

Confira os nutrientes essenciais para o bom desenvolvimento dos pequenos e as dicas para uma alimentação infantil mais saudável

Quando o assunto é alimentação infantil, os cuidados com o cardápio devem ser especiais, afinal, os pequenos precisam consumir, diariamente, uma grande variedade de nutrientes que são essenciais para o seu desenvolvimento. No dia a dia, por exemplo, é preciso montar um cardápio variado que contenha carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e sais minerais. E, para ajudar nessa tarefa, o ideal é ter em mente quais alimentos não podem faltar na hora de montar um cardápio infantil.

LEIA MAIS
Como preparar a lancheira ideal
LEIA MAIS
Smoothies: opção refrescante e saudável para as crianças

De acordo com a nutricionista Gabriela Luvison, todos os macro e micronutrientes que compõem os alimentos são importantes, mas alguns merecem um destaque maior, pois estão diretamente relacionados ao desenvolvimento dos pequenos. “Todas as vitaminas e minerais são essenciais para o desenvolvimento infantil, por isso, é importante variar ao máximo os alimentos. Quanto mais colorida for a alimentação, mais saudável ela é”, explica a nutricionista.

Nutrientes essenciais

• Vitamina A
Participa intensamente do crescimento, aumenta a resistência contra doenças infecciosas e também tem funções como o funcionamento da visão e a manutenção da pele saudável. Pode ser encontrada no leite, no fígado e em alimentos de cor laranja e verde escuro.

• Vitamina C
Ajuda na prevenção de gripes e resfriados. Está presente em frutas e verduras, em especial em frutas cítricas como acerola, laranja e limão.

• Cálcio
É fundamental para formação de ossos e dentes, também é importante para a saúde dos músculos. Está presente no leite e seus derivados, em vegetais como brócolis, couve e também na aveia, entre outros.

• Vitamina D
A sua função é regular o metabolismo do cálcio e do fósforo, além de ser essencial para o crescimento dos ossos durante a infância e a adolescência. Sua principal fonte é o sol, mas também pode ser encontrado em peixes, frutos do mar, carnes, ovos, leites e derivados.

• Ferro
O ferro é um importante aliado na prevenção de doenças como a anemia, que influência no crescimento e desenvolvimento das crianças. Alimentos como carnes vermelhas, feijão, ovos, folhas verdes e beterraba são as principais fontes de ferro.

• Fibras
O consumo de fibras diariamente garante um bom transito intestinal, além disso, a ingestão de água é importantíssima para que as fibras possam cumprir o seu papel.

“O consumo de arroz e feijão, pelo menos cinco vezes na semana, é indispensável, pois é uma combinação perfeita entre aminoácidos essenciais ao organismo. As frutas, verduras, fibras e água também devem ser consumidas diariamente, assim como carnes, ovos, leite e derivados, que são essenciais para o desenvolvimento das crianças”, acrescenta Gabriela.

É bom evitar!

Ficar atento e evitar o consumo de alimentos com alto teor de gordura, açúcares e sódio, como balas, doces, salgadinhos, achocolatados, enlatados, embutidos e alimentos em conserva é muito importante para a formação de um hábito saudável de alimentação na infância. Além disso, refrigerantes e sucos em caixinha também devem ser consumidos com moderação, pois apresentam alto teor de açúcares e, em contrapartida, um valor nutricional quase nulo.

“Os doces não possuem valor nutricional e, em muitos casos, são açúcar puro. O consumo exagerado desses alimentos pode causar, além de cáries, o desenvolvimento de doenças como a obesidade e algumas alergias alimentares, devido à grande quantidade de corantes”, conta Gabriela.

Dicas!

É sempre bom lembrar que o maior exemplo das crianças são os pais. Assim, é importante que toda a família mantenha hábitos para uma vida saudável. Uma boa alternativa para estimular o interesse das crianças por alimentos mais saudáveis é envolve-las no preparo dos alimentos. “A criança que tem contato com o alimento vai ter curiosidade de experimentá-lo”, indica a nutricionista Gabriela.

Se a criança não é muito fã de frutas e verduras, por exemplo, você pode começar incluindo esses alimentos aos poucos na alimentação. “O ideal é oferecer sempre uma quantidade ou porção pequena, pois uma fruta inteira pode assustar. Outra dica é mudar a forma de apresentação das frutas. A maçã, por exemplo, fica muito bonita cortada como batatinhas fritas. Mas também dá para usar cortadores que têm diversos formatos, como de flor, guitarra, coração e carrinho, entre outros. Enfim, usar a criatividade ajuda a melhorar a aceitação dos alimentos saudáveis pelos pequenos”, finaliza.

Fonte: Gabriela Luvison – Nutricionista Clínica CRN – 87935 e autora do blog Nutrição com Carinho


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!