anorexia
anorexia

Anorexia: Saiba como identificar e tratar esse transtorno alimentar

por tatiana.barros
em 9 de novembro de 2017

A pessoa se olha no espelho e se vê gorda, não importa o seu peso. O que o reflexo mostra, no entanto, é uma magreza excessiva e preocupante. Esse é o principal quadro que retrata um caso de anorexia.

A doença é um transtorno alimentar que leva o paciente a se enxergar de maneira distorcida e, com isso, passa a buscar recursos que proporcionem a ele a perda de peso desejada. As consequências são tão graves que 15% dos casos resultam em morte.

Sinais da anorexia

Segundo a psicoterapeuta Maura Albano, a anorexia pode ser identificada a partir de uma série de sintomas em comum, em que se destacam o pavor de engordar, acompanhado de uma dieta extremamente restritiva e da ausência de fome. A pessoa recorre a prática de exercícios em exagero, contagem de calorias, pesagem constante, vômito forçado e isolamento social. “Essas e outras práticas típicas desses pacientes resultam na perda excessiva de peso, ausência da menstruação, tonturas e desmaios, perda da libido e desequilíbrios emocionais”, diz. No entanto, consequências mais graves estão ligadas a esse transtorno, que pode desencadear outros problemas psiquiátricos, como ansiedade, depressão e TOC (transtorno obsessivo-compulsivo) e levar, até mesmo, a tentativas de suicídio.

LEIA MAIS
Vigorexia: Transtorno causado pela obsessão com o corpo
LEIA MAIS
Novembro Azul: Alimentos essenciais para a saúde do homem

Para uma perda de peso mais rápida, alguns pacientes fazem uso de laxantes, para evacuarem após refeições. Também é comum o uso de produtos que prometem emagrecimento instantâneo e suplementos que reduzem o apetite. Entre meninas adolescentes, é crescente ainda casos de alcoolismo.

Causas da anorexia

Maura Albano destaca que o padrão estético estabelecido pela mídia é um dos fatores que influenciam a doença na sociedade atual. “A moda determinou modelos altas e magras como o perfil ideal e não é a toa que a anorexia seja tão comum nesse meio. Meninas novas, em todo o mundo, influenciadas por essa imagem, buscam o emagrecimento a todo custo, o que leva a esse transtorno”.

Mas a psicoterapeuta alerta que outros fatores também podem desencadear a doença, como traumas graves, pressão familiar e social, traços obsessivos de personalidade, perfis biológicos e genéticos, disfunções hormonais, deficiências nutricionais e depressão.

Diagnóstico da anorexia

A pessoa é considerada anoréxica se seu peso corporal estiver abaixo de 85% do valor considerado saudável para sua idade e altura. O médico deve ainda solicitar exames laboratoriais, que identifiquem deficiências nutricionais e outros problemas, além de poder descartar possíveis outras causas para a perda de peso.

Maura Albano destaca que um dos desafios para o diagnóstico da anorexia é a negação por parte dos pacientes. “Por isso, é determinante que familiares e pessoas próximas fiquem atentos a comportamentos que possam sinalizar o quadro de anorexia e procurar ajuda médica. Quanto mais cedo for realizado o diagnóstico e for iniciado o tratamento, mais fácil será controlar o transtorno e evitar as séries consequências que o acompanham”, alerta.

Tratamento da anorexia

O tratamento da anorexia deve envolver uma equipe multidisciplinar. O médico deve realizar exames laboratoriais, além de prescrever medicamentos que ajudem na recuperação. O nutricionista deve estabelecer e supervisionar um plano alimentar que reabasteça o organismo com os nutrientes que ele necessita para funcionar. Já o psicólogo tem a missão de ajudar o paciente a adquirir consciência do seu transtorno e a lidar com todos os gatilhos, traumas e emoções que possam estar ligados ao seu caso e assim fazer com que ele consiga ter novamente uma relação saudável com a comida.

O tratamento deve ser constante, uma vez que a anorexia não tem cura. Por essa razão, é especialmente importante que o anoréxico possa contar com o apoio e supervisão da família e amigos próximos.


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!