Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade
Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

Alimentação ajuda a reduzir sintomas de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

por Redação
em 12 de dezembro de 2014

As crianças são a alegria da casa! Elas são espontâneas, esbanjam energia e adoram brincar. Tudo é motivo para correr e pular de um lado para o outro e, por isso, prender a sua atenção a uma única atividade por muito tempo torna-se um desafio. Mas, quando essa agitação começa a ultrapassar os limites da normalidade e passa a interferir no desempenho escolar e no seu relacionamento com as pessoas, isso pode ser um sinal da presença do TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Uma doença neurocomportamental de origem genética, o TDAH atinge cerca de 5% das crianças em idade escolar, segundo um artigo científico publicado na revista Práxis. Mesmo não tendo cura, o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade pode ter os sintomas reduzidos e controlados através do uso de medicamentos e alguns cuidados com a alimentação.

Alimentação x TDAH
Considerada um método alternativo ou secundário no tratamento do TDAH, a alimentação pode trazer resultados positivos na redução de alguns sintomas do transtorno, apenas com pequenas modificações no cardápio e uma alimentação mais saudável no dia a dia.

Segundo o Instituto de Pesquisa de Déficit de Atenção, os alimentos mais indicados para crianças com TDAH são as fontes de proteínas e carboidratos de digestão lenta, como alimentos orgânicos, frutas e verduras. Por outro lado, as proteínas e carboidratos de digestão rápida, como os açúcares leves e a farinha branca, que são absorvidos rapidamente pelo organismo, provocam picos de glicose no sangue e, consequentemente, geram mais energia para o organismo.

Experiência
Em 2010, uma equipe médica do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR), realizou um estudo e concluiu que o excesso de manganês – mineral encontrado em cereais e arroz – no organismo pode piorar os sintomas do transtorno. Isso porque, o manganês fica depositado no cérebro, onde se aloja nos neurônios através de uma enzima chamada transportador de dopamina, a qual tem ligação com a origem do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Portanto, é bom controlar a presença de manganês no cardápio diário.

Além disso, o consumo de alimentos orgânicos pode favorecer o portador de TDAH, pois evita a ingestão de agrotóxicos e o acumulo de chumbo no organismo, elemento que é um dos vilões para os hiperativos.

Atenção!
A restrição de qualquer alimento do cardápio só deve ser feita sob a orientação e acompanhamento de um médico ou nutricionista, para evitar a perda de nutrientes importantes ao bom funcionamento do organismo.

Fontes: Instituto Paulista de Déficit de Atenção – IPDA, Jornal Gazeta do Povo, Revista Veja e Vida Integral


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!