Fale Conosco

Método BLW: inicie o paladar do seu filho sem papinha

por jasmine
em 23 de abril de 2020

Segundo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), crianças com até seis meses de vida devem se alimentar única e exclusivamente com o leite materno. Porém, depois desse período, o bebê já pode dar os primeiros passos na formação do paladar.

Os pediatras recomendam que a introdução da criança ao mundo dos sabores seja feita por meio de papinhas, com o leite materno sendo um alimento complementar até os dois anos de idade. E se ao invés de consumirem apenas papinhas as crianças pudessem se servir também com pequenos pedaços de alimentos?

Método BLW: como ele funciona?

O método BLW foi criado pela britânica Gill Rapleu. Agente de saúde, ela escreveu um livro chamado “Desmame Guiado pelo Bebê: Ajudando Seu Filho a Amar a Boa Comida” no qual descreve a sua metodologia.

A sigla BLW significa Baby-Led Weaning, que em tradução para o português é algo como “desmame guiado pelo bebê”. A proposta dela é justamente essa: permitir que a própria criança decida o que quer comer ou não a partir da prova de pequenos pedaços do alimento in natura.

Nesse caso, os pais devem ter um cuidado especial com o preparo do alimento e com o tamanho dos pedaços. Ao preparar brócolis ou cenoura cozidos, por exemplo, os vegetais devem ser cortados em pedaços que caibam na mão da criança e que ela possa colocar na boca sozinha, sem maiores riscos.

Quais são as vantagens do método BLW e como ele deve ser aplicado?

A ideia é que desde a mais tenra idade a criança possa sentir o sabor dos alimentos em sua forma natural. Falamos aqui, é claro, de alimentos saudáveis, como frutas, verduras e legumes. Nas primeiras tentativas é natural que a criança se preocupe mais em brincar e explorar o alimento do que em comê-lo.

Porém, os pais devem ter em mente que a criança não deve, em hipótese alguma, ser forçada a comer o que ela não quer. Deixe que ela experimento o alimento no tempo dela e emita as suas próprias opiniões sobre o gosto. Tudo deve acontecer com naturalidade, sem pressa e de preferência em momentos que a criança esteja tranquila.

Você verá que, com o passar dos dias, a criança começará desenvolver vontades próprias a partir da observação dos alimentos. Algumas comidas parecerão apetitosas, enquanto outras nem tanto. Permita que elas explorem os alimentos da melhor forma possível e incentive-a a comer os itens que ela julgar mais saborosos.

Estímulo à autonomia

De acordo com a autora do método, o BLW é ainda uma forma de estimular a autonomia da criança nos primeiros meses de vida. Um estudo publicado pelo British Medical Journal concluiu que bebês que escolhem a comida com as mãos são mais propensos a se alimentar de forma saudável do que aqueles que são alimentados na boca com colher.

A formação do paladar se mostra mais rica para as crianças quando elas têm a oportunidade de sentir o gosto e a textura do alimento em sua forma natural, condição que é deixada de lado quando a comida é transformada em papinha. Em outras palavras, os estudos sugerem que essa pode ser uma forma eficiente de combater a obesidade, criando uma educação alimentar para a criança desde o primeiro ano de vida.

Alguns cuidados especiais

Quando se fala em dar alimentos em pedaços para os bebês, uma das primeiras preocupações que vêm à cabeça dos pais é a possibilidade de as crianças se engasgarem com os alimentos. De fato, essa possibilidade sempre existe e por esse motivo é fundamental que você escolha alimentos de fácil mastigação e cortados em pedaços bem pequenos.

Meia rodelinha de cenoura cozida ou um pequeno pedaço de melancia sem caroço, por exemplo, são alimentos que praticamente de dissolvem na boca com muita naturalidade, além de serem digeridos facilmente pelas crianças. O bebê deve estar sentado, ereto (de preferência na cadeirinha) e sob a supervisão dos pais.

É importante que os pais não ajudem a criança a se alimentar durante essa experiência. Os pedacinhos devem ser oferecidos a ela nas mãos, e elas é que devem levá-los à boca quando tiverem vontade. Seus filhos estão prontos para entrar no maravilhoso universo dos sabores dos alimentos?


Compartilhe
Assine nossa newsletter para receber artigos exclusivos como esse
Newsletter

Faça parte desse movimento pela alimentação consciente!